Browse By

Ponto de Vista – Traços Modernos: a novela que não decolou

Por Wander Veroni*

Existe uma piada entre os internautas no Twitter chamando a novela “Tempos Modernos” de “Traços Modernos”. Mas, o que seria isso? A grosso modo, seria uma novela que até possui audiência considerável, mas ninguém vê. O termo “traço”, de acordo com o jargão de medição de audiência na TV aberta é, justamente, aquilo que não dá audiência.

Não me canso de conversar com as pessoas que se dizem “noveleiras” afirmarem que deixam a televisão ligada no volume mais baixo esperando o Jornal Nacional enquanto a novela é exibida. O público que “Caras e Bocas” reuniu para esta faixa com bastante sucesso se sentiu decepcionado – apesar do elenco ter artistas queridos pelo público como Antônio Fagundes, Eliane Giardini, Grazi Massafera, entre outros.

“Tempos Modernos” é uma novela que não mostrou a que veio e não despertou atenção no público. Dificilmente será exibida no “Vale a pena Ver de Novo” ou daqui alguns anos será lembrada por algum personagem que deixou saudade. Nem sempre um sucesso de audiência significa que um programa caiu na boca do povo e gerou comentários. Apesar do primeiro lugar em audiência a novela das sete não decolou: é um verdadeiro fiasco!

Houve (e ainda há) algumas tentativas de salvar “Tempos Modernos”: criar novas histórias ou mudar o perfil de alguns personagens. Apesar da reação na audiência, a novela começou errada, sem um argumento sólido que a sustentasse para o público ou que criasse identificação. A história do prédio inteligente não colou! Talvez, o ponto mais fraco da trama e totalmente confuso.

Admiro o Bosco Brasil como roteirista pelos vários trabalhos que ele já fez na dramaturgia – e principalmente pelos colaboradores talentosos que ele reuniu, como Patrícia Moretzsohn, por exemplo; mas colocar no ar “Tempos Modernos” foi um erro, tanto pelo título, como pela história principal que não chama atenção do público.

Ainda, a trama não trouxe nenhuma inovação de linguagem como é de costume no horário das sete da noite. Alguns críticos mais severos falam em desperdício de orçamento e elenco. Li certa vez que o próprio Aguinaldo Silva “desistiu” de supervisionar “Tempos Modernos” pela falta de proposta da novela: jogou a toalha, literalmente. Consciente do erro, a Globo retirou do baú e se propôs a fazer o remake de “TiTiTi”, numa tentativa de salvar esta faixa.

O público não é trouxa: dificilmente, uma novela que começa sem argumento terá audiência. Por incrível que pareça, o elenco foi perdoado pelo público, mas o autor da novela não. Como colocar no ar uma novela sem temática? O telespectador pode até não trocar de canal, mas ignora aquilo que não lhe agrada: isso é fato.

___________________________________________________

* Perfil: Wander Veroni, 25 anos, é jornalista pós-graduado em Rádio e TV, ambas formações pelo Uni-BH. É autor do blog Café com Notícias (http://cafecomnoticias.blogspot.com). Twitter: @wanderveroni / @cafecnoticias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *