Arquivo mensais:fevereiro 2015

Mesquinha, Globo tira “Planeta Xuxa” do ar após apresentadora fechar com a Record

Que a Globo se acha o último biscoito de chocolate do universo, não é novidade pra ninguém.

E isso apesar de a emissora estar mais aberta e aceitar artistas antes considerados “personas non grata” de volta.
Mas mais uma prova do quanto o canal pode ser mesquinho foi vista hoje, quando o Viva anunciou o cancelamento do Planeta Xuxa logo após a Record convidar a imprensa para tratar sobre a chegada de Xuxa.
Como bem lembrou o amigo André Santana, César Filho fazia sucesso no Globo de Ouro e, ainda assim, o Viva manteve a atração no ar com o jornalista bombando no SBT com o Notícias da Manhã.
Isso, fora diversas novelas, séries e demais atrações que têm no elenco estrelas que atualmente não estão na Globo.
No entanto, provando que a relação de Xuxa com a Globo realmente estava insustentável, a vênus platinada tem uma atitude ridícula quando ao menos poderia esperar a primeira temporada do Planeta terminar para disfarçar.
E olha que Xuxa era tratada como estrela no Viva!
Ficou feio pra quem?!

Mesquinha, Globo tira “Planeta Xuxa” do ar após apresentadora fechar com a Record

Que a Globo se acha o último biscoito de chocolate do universo, não é novidade pra ninguém.

E isso apesar de a emissora estar mais aberta e aceitar artistas antes considerados “personas non grata” de volta.
Mas mais uma prova do quanto o canal pode ser mesquinho foi vista hoje, quando o Viva anunciou o cancelamento do Planeta Xuxa logo após a Record convidar a imprensa para tratar sobre a chegada de Xuxa.
Como bem lembrou o amigo André Santana, César Filho fazia sucesso no Globo de Ouro e, ainda assim, o Viva manteve a atração no ar com o jornalista bombando no SBT com o Notícias da Manhã.
Isso, fora diversas novelas, séries e demais atrações que têm no elenco estrelas que atualmente não estão na Globo.
No entanto, provando que a relação de Xuxa com a Globo realmente estava insustentável, a vênus platinada tem uma atitude ridícula quando ao menos poderia esperar a primeira temporada do Planeta terminar para disfarçar.
E olha que Xuxa era tratada como estrela no Viva!
Ficou feio pra quem?!

E a Globo com medinho de Gugu? Voltamos no tempo! Sensacional!

Quem diria que um dia a Globo voltaria a ter medo de Gugu?

Sim, o Gugu que ao final dos anos 90 assumiu a liderança aos domingos com o Domingo Legal e sapateava em Faustão.
Lembram daquele bonequinho loirinho correndo pela tela? Pois é.
Faustão, naquele período, fez de um tudo para tentar derrubar o então loiro do SBT, até usou aquele sushi erótico que certamente hoje se recusará a tratar a respeito.
Mas aí Gugu forjou uma entrevista com o PCC e meio que “encerrou carreira”.
Poucas vezes, depois disso, incomodou a Globo enquanto ainda estava no SBT. Quando ocorria, era por causa do Construindo um Sonho.
Na Record, deu um susto só na estreia. Depois, fugiu do Silvio Santos e não aguentou a concorrência com Eliana…
Mas eu juro, juro que não esperava esse barulho em seu retorno à Record.
Depois de liderar no primeiro dia, a Globo passou recibo ao empurrar Império até 23h e o BBB até quase meia noite, sendo que essa edição é conhecida por ter edições mais curtas.
E qual o motivo? Sabiam que Adnet penaria. E penou.
Gugu liderou de novo, por cerca de 40 minutos.
Repito o que perguntei ontem: vai manter?
No momento, só uma certeza: chegou, chegando e dizendo a que veio.

E a Globo com medinho de Gugu? Voltamos no tempo! Sensacional!

Quem diria que um dia a Globo voltaria a ter medo de Gugu?

Sim, o Gugu que ao final dos anos 90 assumiu a liderança aos domingos com o Domingo Legal e sapateava em Faustão.
Lembram daquele bonequinho loirinho correndo pela tela? Pois é.
Faustão, naquele período, fez de um tudo para tentar derrubar o então loiro do SBT, até usou aquele sushi erótico que certamente hoje se recusará a tratar a respeito.
Mas aí Gugu forjou uma entrevista com o PCC e meio que “encerrou carreira”.
Poucas vezes, depois disso, incomodou a Globo enquanto ainda estava no SBT. Quando ocorria, era por causa do Construindo um Sonho.
Na Record, deu um susto só na estreia. Depois, fugiu do Silvio Santos e não aguentou a concorrência com Eliana…
Mas eu juro, juro que não esperava esse barulho em seu retorno à Record.
Depois de liderar no primeiro dia, a Globo passou recibo ao empurrar Império até 23h e o BBB até quase meia noite, sendo que essa edição é conhecida por ter edições mais curtas.
E qual o motivo? Sabiam que Adnet penaria. E penou.
Gugu liderou de novo, por cerca de 40 minutos.
Repito o que perguntei ontem: vai manter?
No momento, só uma certeza: chegou, chegando e dizendo a que veio.

“Muitas reviravoltas e surpresas”, promete Aguinaldo Silva sobre reta final de “Império”

Aguinaldo Silva é um dos maiores autores de telenovelas do país, responsável por diversos clássicos e colecionador de sucessos. Atualmente, assina “Império”, trama das 21h que supera a audiência de “Em Família” — folhetim que antecedeu sua novela e que conquistou o pior resultado do horário — mesmo tendo enfrentado os horários político e de verão, festas de final de ano e Carnaval.
A produção caiu no gosto do povo com muito humor e vilões que certamente ficarão marcados na memória dos telespectadores. E foi uma tentativa audaciosa do veterano a responsável por manter a personagem Cora, um dos principais destaques da história, na ativa: Drica Moraes precisou sair de cena e foi substituída por Marjorie Estiano, que havia vivido a megera na primeira fase de “Império”.
Mas Silva garante, após muita polêmica, que Cora, atualmente morta, não foi rejuvenescida. Em entrevista exclusiva concedida ao RD1, ele afirma que não existia uma alternativa para caso o público rejeitasse a troca: “Não tinha um plano B, mas eu sabia que a Marjorie, com o seu talento incrível, faria um excelente trabalho.”
Confira a íntegra da conversa:
RD1 – Mesmo enfrentando o Horário Político e o Eleitoral, além das festas de final de ano e Carnaval, “Império” superou a antecessora. Como descreve sua alegria por novamente ter resultados expressivos com uma novela?
Aguinaldo Silva – Eu estou muito feliz com a repercussão de “Império”! Me dedico muito aos meus trabalhos e procuro fazer o melhor que posso. É maravilhoso ver a repercussão dos telespectadores e saber que a novela está na boca das pessoas.
RD1 – Uma prática atual entre novelistas é assistir às suas telenovelas juntamente com os internautas. Já mudou alguma coisa em suas histórias por conta do respaldo que tem do público? Tem algum exemplo que tenha acontecido em “Império”?
Aguinaldo Silva – Sou um autor que procuro manter um relacionamento bem próximo com os internautas, inclusive já fiz algumas enquetes no meu blog para ouvi-los. Porém, não costumo mudar os rumos das minhas histórias somente por conta das opiniões do público. Como novela é uma obra aberta, a história pode sofrer algumas alterações por diversos motivos, não é mesmo? Não tenho nenhum exemplo específico em “Império”.
RD1 – Na comparação com “Fina Estampa”, os comentários são mais positivos, negativos ou a vibração é a mesma?
Aguinaldo Silva – É difícil mensurar isso! Não temos a fórmula do sucesso, então comentários positivos e negativos surgem em qualquer produção.
RD1 – Você sempre cria tipos populares como Crô e Xana. Quando começa a escrever uma obra, tem como meta pensar em um personagem que possa cair nas graças de quem assiste ou é consequência/coincidência?
Aguinaldo Silva – Acredito que seja uma consequência. Não crio minhas histórias pensando “nisso” ou “naquilo”. Acredito no personagem como ele é, com seus defeitos e qualidades, mas se ele vai cair no gosto do público ou não é outra história.
RD1 – O Zé Alfredo é quase todo errado, apesar de suas atitudes dignas e de ser rigoroso com os filhos, mas ainda assim tem uma legião de fãs. É uma linha tênue que separa esse ‘mocinho’ dos vilões, não? Ou Zé realmente está no mesmo nível de Maria Marta, Cora e Maurílio?
Aguinaldo Silva – Sempre digo que o José Alfredo é um verdadeiro anti-herói. Ele não é ruim, mas também não é bom. Ele não é o vilão, mas também não é mocinho. Ele é gente como a gente, erra e acerta o tempo todo. Acho que é por isso que os telespectadores gostam tanto dele.
RD1 – A novela gera diversas discussões polêmicas, como o direito a se guardar no armário, a tentativa de adoção por um homem que se veste como mulher e a homofobia, dentre outras coisas. Por ainda termos que discutir esses assuntos é que o ‘beijo gay’ gera tantos prós e contras?
Aguinaldo Silva – A dramaturgia nada mais é que um reflexo da sociedade. As questões que estão ali, também acontecem aqui fora. Minha ideia não é criar polêmica, e sim uma reflexão.
RD1 – Paulo Vilhena tem sido muito elogiado e Domingos Salvador é tido como um divisor de águas em sua carreira. Foi surpreendido ou Salvador está retratado como havia imaginado?
Aguinaldo Silva – Salvador está sendo retratado como tinha imaginado. A atuação do Paulo Vilhena está incrível!
RD1 – O público assimilou a troca de Drica Moraes por Marjorie Estiano. Existia um plano B para caso o ‘rejuvenescimento’ de Cora fosse rejeitado?
Aguinaldo Silva – Na verdade, Cora não foi ‘rejuvenescida’. Uma atriz precisou ser substituída por outra. Não tinha um plano B, mas eu sabia que a Marjorie, com o seu talento incrível, faria um excelente trabalho.
RD1 – O que ainda podemos esperar de “Império” nesta reta final?
Aguinaldo Silva – Muitas reviravoltas e surpresas! “Império” ainda tem muito o que mostrar.
RD1 – O Viva está reprisando um grande sucesso, “Pedra Sobre Pedra”. Pensa em um dia reescrever tramas ou gostaria de ver remakes de suas obras assinados por outros profissionais?
Aguinaldo Silva – Pode ser uma ideia interessante, mas gosto de escrever novas histórias.
RD1 – Tem notícias sobre “Doctor Pri”? A série sairá do papel neste ano com Lilia Cabral como protagonista?
Aguinaldo Silva – No momento, só tenho cabeça para os últimos capítulos de “Império” (risos).

“Muitas reviravoltas e surpresas”, promete Aguinaldo Silva sobre reta final de “Império”

Aguinaldo Silva é um dos maiores autores de telenovelas do país, responsável por diversos clássicos e colecionador de sucessos. Atualmente, assina “Império”, trama das 21h que supera a audiência de “Em Família” — folhetim que antecedeu sua novela e que conquistou o pior resultado do horário — mesmo tendo enfrentado os horários político e de verão, festas de final de ano e Carnaval.
A produção caiu no gosto do povo com muito humor e vilões que certamente ficarão marcados na memória dos telespectadores. E foi uma tentativa audaciosa do veterano a responsável por manter a personagem Cora, um dos principais destaques da história, na ativa: Drica Moraes precisou sair de cena e foi substituída por Marjorie Estiano, que havia vivido a megera na primeira fase de “Império”.
Mas Silva garante, após muita polêmica, que Cora, atualmente morta, não foi rejuvenescida. Em entrevista exclusiva concedida ao RD1, ele afirma que não existia uma alternativa para caso o público rejeitasse a troca: “Não tinha um plano B, mas eu sabia que a Marjorie, com o seu talento incrível, faria um excelente trabalho.”
Confira a íntegra da conversa:
RD1 – Mesmo enfrentando o Horário Político e o Eleitoral, além das festas de final de ano e Carnaval, “Império” superou a antecessora. Como descreve sua alegria por novamente ter resultados expressivos com uma novela?
Aguinaldo Silva – Eu estou muito feliz com a repercussão de “Império”! Me dedico muito aos meus trabalhos e procuro fazer o melhor que posso. É maravilhoso ver a repercussão dos telespectadores e saber que a novela está na boca das pessoas.
RD1 – Uma prática atual entre novelistas é assistir às suas telenovelas juntamente com os internautas. Já mudou alguma coisa em suas histórias por conta do respaldo que tem do público? Tem algum exemplo que tenha acontecido em “Império”?
Aguinaldo Silva – Sou um autor que procuro manter um relacionamento bem próximo com os internautas, inclusive já fiz algumas enquetes no meu blog para ouvi-los. Porém, não costumo mudar os rumos das minhas histórias somente por conta das opiniões do público. Como novela é uma obra aberta, a história pode sofrer algumas alterações por diversos motivos, não é mesmo? Não tenho nenhum exemplo específico em “Império”.
RD1 – Na comparação com “Fina Estampa”, os comentários são mais positivos, negativos ou a vibração é a mesma?
Aguinaldo Silva – É difícil mensurar isso! Não temos a fórmula do sucesso, então comentários positivos e negativos surgem em qualquer produção.
RD1 – Você sempre cria tipos populares como Crô e Xana. Quando começa a escrever uma obra, tem como meta pensar em um personagem que possa cair nas graças de quem assiste ou é consequência/coincidência?
Aguinaldo Silva – Acredito que seja uma consequência. Não crio minhas histórias pensando “nisso” ou “naquilo”. Acredito no personagem como ele é, com seus defeitos e qualidades, mas se ele vai cair no gosto do público ou não é outra história.
RD1 – O Zé Alfredo é quase todo errado, apesar de suas atitudes dignas e de ser rigoroso com os filhos, mas ainda assim tem uma legião de fãs. É uma linha tênue que separa esse ‘mocinho’ dos vilões, não? Ou Zé realmente está no mesmo nível de Maria Marta, Cora e Maurílio?
Aguinaldo Silva – Sempre digo que o José Alfredo é um verdadeiro anti-herói. Ele não é ruim, mas também não é bom. Ele não é o vilão, mas também não é mocinho. Ele é gente como a gente, erra e acerta o tempo todo. Acho que é por isso que os telespectadores gostam tanto dele.
RD1 – A novela gera diversas discussões polêmicas, como o direito a se guardar no armário, a tentativa de adoção por um homem que se veste como mulher e a homofobia, dentre outras coisas. Por ainda termos que discutir esses assuntos é que o ‘beijo gay’ gera tantos prós e contras?
Aguinaldo Silva – A dramaturgia nada mais é que um reflexo da sociedade. As questões que estão ali, também acontecem aqui fora. Minha ideia não é criar polêmica, e sim uma reflexão.
RD1 – Paulo Vilhena tem sido muito elogiado e Domingos Salvador é tido como um divisor de águas em sua carreira. Foi surpreendido ou Salvador está retratado como havia imaginado?
Aguinaldo Silva – Salvador está sendo retratado como tinha imaginado. A atuação do Paulo Vilhena está incrível!
RD1 – O público assimilou a troca de Drica Moraes por Marjorie Estiano. Existia um plano B para caso o ‘rejuvenescimento’ de Cora fosse rejeitado?
Aguinaldo Silva – Na verdade, Cora não foi ‘rejuvenescida’. Uma atriz precisou ser substituída por outra. Não tinha um plano B, mas eu sabia que a Marjorie, com o seu talento incrível, faria um excelente trabalho.
RD1 – O que ainda podemos esperar de “Império” nesta reta final?
Aguinaldo Silva – Muitas reviravoltas e surpresas! “Império” ainda tem muito o que mostrar.
RD1 – O Viva está reprisando um grande sucesso, “Pedra Sobre Pedra”. Pensa em um dia reescrever tramas ou gostaria de ver remakes de suas obras assinados por outros profissionais?
Aguinaldo Silva – Pode ser uma ideia interessante, mas gosto de escrever novas histórias.
RD1 – Tem notícias sobre “Doctor Pri”? A série sairá do papel neste ano com Lilia Cabral como protagonista?
Aguinaldo Silva – No momento, só tenho cabeça para os últimos capítulos de “Império” (risos).

Gugu faz estreia arrasadora no quesito audiência

Gugu voltou ao ar ontem, após quase dois anos afastado da TV.

Não assisti, por isso não opino sobre o conteúdo, mas vi a repercussão nas redes sociais.
E a audiência? Sinceramente, não esperava tanto, especialmente diante de Ratinho ter nas mãos Florinda Meza. Até apostaria num empate.
Bom, mas a Record tinha Suzane, e um crime sempre chama mais atenção que uma víuva lamentando a partida do amado, mesmo que a pessoa em questão seja Bolaños.
A questão é: deu praticamente o triplo do que a Record andava conquistando na faixa, bateu SBT e Globo – não foi primeiro lugar no todo, mas superou a Globo por mais de 1h.
Mais: catapultou o Câmera Record e Fala Que Eu Te Escuto, que também lideraram.
Mas é estreia e estreia sempre faz barulho. Pois ele não foi bem na primeira vez na Record? E depois?
Será que dessa vez o animador mantém os altos índices? A Conferir.

Quer dizer, hoje ele certamente vai sapatear no Adnet e, dessa forma, a poderosa se arrependerá amargamente de ter colocado o Tá no Ar mais cedo…

Gugu faz estreia arrasadora no quesito audiência

Gugu voltou ao ar ontem, após quase dois anos afastado da TV.

Não assisti, por isso não opino sobre o conteúdo, mas vi a repercussão nas redes sociais.
E a audiência? Sinceramente, não esperava tanto, especialmente diante de Ratinho ter nas mãos Florinda Meza. Até apostaria num empate.
Bom, mas a Record tinha Suzane, e um crime sempre chama mais atenção que uma víuva lamentando a partida do amado, mesmo que a pessoa em questão seja Bolaños.
A questão é: deu praticamente o triplo do que a Record andava conquistando na faixa, bateu SBT e Globo – não foi primeiro lugar no todo, mas superou a Globo por mais de 1h.
Mais: catapultou o Câmera Record e Fala Que Eu Te Escuto, que também lideraram.
Mas é estreia e estreia sempre faz barulho. Pois ele não foi bem na primeira vez na Record? E depois?
Será que dessa vez o animador mantém os altos índices? A Conferir.

Giulia Gam e Alessandra Negrini esqueceram o talento em casa?

E eis que Boogie Oogie passou os últimos meses tratando sobre o segredo de Carlota e no final não era grandes coisas.
Pior: o que era a atuação de Giulia Gam? Sofrível.
Especialmente nas cenas em off, quando a atriz falava e algumas imagens de flashback eram veiculadas.
Tipo, nem disfarçou que estava lendo.
E a Negrini, ontem, estava com uma má vontade ímpar em cena com Marco Ricca.
O que está acontecendo com essas duas?
#medo

Giulia Gam e Alessandra Negrini esqueceram o talento em casa?

E eis que Boogie Oogie passou os últimos meses tratando sobre o segredo de Carlota e no final não era grandes coisas.
Pior: o que era a atuação de Giulia Gam? Sofrível.
Especialmente nas cenas em off, quando a atriz falava e algumas imagens de flashback eram veiculadas.
Tipo, nem disfarçou que estava lendo.
E a Negrini, ontem, estava com uma má vontade ímpar em cena com Marco Ricca.
O que está acontecendo com essas duas?
#medo