A Guerra dos Sexos ainda existe?

Tirando os  remakes de novela de época que costumam ser atemporais e por isso se encaixam bem em qualquer tempo, fazer remake não é uma tarefa das mais simples. Um fator importante para o sucesso é saber atualizar o texto sem que esse perca sua essência. Íris Abravanel com Carrossel e principalmente Maria Adelaide Amaral com Tititi conseguiram essa proeza.  Tititi foi atualizada com maestria e uma ferramenta atual como a internet que não constava na época da primeira versão e que hoje impera foi usada na novela com muita naturalidade. A rivalidade entre os costureiros que poderia soar falsa foi tão bem conduzida que convenceu, prova disso foi o grande sucesso de critica e audiência do remake de Tititi.

Estreou Guerra dos Sexos, do experiente Silvio de Abreu. Ele é autor do original e do remake. Ou seja, pode pintar e bordar. A novela é dirigida pelo grande Jorge Fernando, que além de ser um ótimo diretor tem outra qualidade: ama sua mãezinha,  já que sempre arruma uma vaguinha para ela nas novelas que dirige.

Guerra dos Sexos é pra cima, leve, divertida, como deve ser uma novela das sete. O elenco é primoroso, até agora não há nenhum ator que comprometa, que atrapalhe, que está ruim em cena. Mas, agora começam os problemas. O desenvolvimento da trama ainda está um pouco confuso, o que geralmente causa a falta de envolvimento do telespectador com os personagens.   O cenário principal é uma grande loja de departamento, esse cenário há bem pouco tempo foi usado na novela do Miguel Falabella, Aquele beijo.

O grande sucesso de Cheias de Charme que deixou vários órfãos também é um entrave. E por fim e o mais grave de todos remete à pergunta: A Guerra dos Sexos ainda existe? Nos tempos atuais, diferente dos anos oitenta, quando foi ao ar a primeira versão da novela, praticamente não há mais profissão e muito menos espaços que são só de homens ou só de mulheres. Mulheres fazem trabalhos que eram considerados só masculinos e homens também fazem os que eram considerados só femininos.  A mulher hoje é independente. Temos uma mulher presidente, assim como temos caminhoneiras, pedreiras, executivas,  mecânicas e etc. Existe machismo e alguma dificuldade para as mulheres no mercado de trabalho? Existe, mas em escala infinitamente menor que no início da década de oitenta, quando o tema deve ter feito todo sentido para quem estava assistindo, já que foi uma novela de grande sucesso.

A guerra entre homens e mulheres é o tema central da trama e devido aos fatores que citei acima soa falsa e pouco plausível nos dias atuais. Novela não tem compromisso com a realidade, muitos dirão, até concordo, mas tem que ter algum elemento que a prenda no real, que faça com que o telespectador enxergue ali algo possível de acontecer. A novela ainda está no inicio, cabe ao Silvio de Abreu conseguir de alguma forma, se for possível, trazer a história para o século XXI, do contrário, Guerra dos Sexos será lembrada como um remake que não era para ter sido feito. Mas as coisas podem mudar e a novela tornar-se ainda um grande sucesso. Vamos aguardar. Um abraço e até a próxima.

* Gilmar Moraes

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*