A Lei do Amor precisa de um vilão de verdade

A Lei do Amor é uma ótima novela. Mas a audiência não mente: falta alguma coisa.
E o que falta realmente é um grande vilão. Os três que surgem como os maiores malvados do folhetim, Ciro, Tião e Mág, estão em cima do muro.
Nenhum veste a carapuça e se apresenta como de fato é, ou como pensamos que são. Até aqui, somente Tião é claramente o pior de todos, e Maria Adelaide Amaral já declarou que ele é o maior vilão de sua história.
Mas falta se mostrar, sair da casinha. Até aqui, a maldade dele é colocar a chata da Letícia contra Helô. E só. O que resta são declarações avulsas e puladas de cerca.
Por isso, José Mayer, se continuar com o papel desse jeito, jamais vai se posicionar entre os maiores vilões da teledramaturgia brasileira.
Ao mesmo tempo, Magnólia, grande promessa, segue apagada. Precisa mostrar a que veio urgentemente.


4 comentários em “A Lei do Amor precisa de um vilão de verdade”

  1. Tem isso e o lance do elenco gigantesco que o Nilson Xavier levantou outro dia que eu acho que ajuda a confundir o público. Boa a novela é. Acho que é a melhor desde Império. Não merece essa audiência ruim. Mas quem sabe não reage.

  2. Não sei porque a audiência vai mal, uma vez que a novela é muito boa. Quanto a Mag, ela não é exatamente uma vilã, tá mais no clube das psicopatas, faz tudo pela fam´~ilia e crente que tá fazendo o bem…

  3. Entendo. Quando se trata de A lei do amor, as opiniões são divergentes. Mas uma coisa é unânime: falta algo. Outra unanimidade que permeia os assuntos acerca da novela é que, mesmo faltando algo, nada justifica seu desempenho abaixo de Velho chico, por exemplo. É pra refletir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *