Ai que delícia, vai rolar um tchetchereretchetche

6 de janeiro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Como assim Bial?

De um lado tem gente cantando a música do Michel Teló, do outro, a do Gusttavo Lima.

O que eu acho curioso com esses sucessos é o prazo de validade. São músicas que daqui há um ano poucos vão lembrar e, somando mais uns dez anos, bem, continuaremos relembrando sucessos da década de oitenta ou noventa. Pouca coisa se aproveita dos anos 2000.

Tô dizendo que não gosto de um “Ai delícia, assim você me mata”?

Ora, essas canções são como chicletes, grudam. A gente sai cantando, dançando, entra na moda. Mas passa.

Michel Teló, aliás, é um cara que merece o sucesso que está fazendo. Seu estilo é bem alto astral, se deu bem na carreira solo.

Mas quando penso em tantos compositores fenomenais que temos por aqui e vejo que e a canção da delícia está estourada lá fora, passando a perna em Adele e Coldplay, me faz relembrar os tempos em que Ratinho quase batia as novelas das oito.

O gosto popular é algo incrível. Por essas e outras é mais fácil partir para as regravações, como muitos estão fazendo. Só assim pra ganhar dinheiro e estourar nas paradas – ou com um tchereretchetche.

É o que tem pra hoje, bebê!

+ Michel Teló
+ Gusttavo Lima