Altas Horas celebra os 50 anos de carreira de Erasmo Carlos

O Altas Horas deste sábado, dia 05, celebra os 50 anos de carreira do Erasmo Carlos. A gravação, que aconteceu nesta quarta-feira, dia 02, na Central Globo de Produção, no Rio de Janeiro, remeteu ao clima rock n’ roll e à jovem guarda que Erasmo viveu e vive até os dias de hoje. Luiz Melodia, Adriana Calcanhoto, Marcelo D2, Wanderléa, Frejat, Fernanda Abreu, Marcelo Camelo, Paula Toller, Roberta Sá, Sandra de Sá e a presença surpresa de Maria Bethânia fizeram parte da homenagem.

Ao entrar na arena do programa, Erasmo não escondeu sua emoção e comentou como se tornou um músico e, principalmente, um roqueiro:

– É engraçado pensar em como tudo começou. Lembro bem no momento que comecei a escutar o rock, depois comecei a colecionar tudo relacionado ao rock, tudo isso foi me envolvendo, me envolvendo, que estou até hoje inebriado pela música – disse.
Serginho conta como surgiu a ideia de celebrar os aniversários de carreira e de nascimento (Erasmo faz aniversário no dia 5 de junho) do Tremendão:

– Até pensei que o Erasmo comemorasse também os 50 anos junto com Roberto. Foi uma ótima surpresa saber que ele está completando neste ano, junto com os dez anos do Altas Horas – disse Serginho Groisman, que gravou o Altas Horas pela primeira vez no Projac.

Para abrir a noite, a malemolência de Luiz Melodia, que cantou com o Tremendão a música “Minha Fama de Mau”. Depois foi a vez da Adriana Calcanhoto cantar “Gatinha Manhosa” com Erasmo, que não poupou elogios:

– Sou fã da Adriana, ela toca um violão maravilhoso e não digo do instrumento, mas da maneira de tocar.

Em seguida, Marcelo D2, que cantou “Sou uma criança não entendo nada”:

– Comecei a gostar de rock ouvindo a galera da Jovem Guarda. Escrevi uma participação nesta música e, na verdade, o que escrevi foi uma conversa que gostaria de ter tido com Erasmo – afirmou D2, que nomeou a música como “Papo com Erasmo”.
Ainda no primeiro bloco, o apresentador também anunciou para Erasmo que ele teria uma surpresa ao longo do programa. Na verdade seria um presente. Ninguém menos do que Maria Bethânia, que foi aplaudida de pé pela plateia depois de sua apresentação.
Dona de uma voz inigualável, ela cantou “As canções que você fez para mim”, junto com Erasmo Carlos, que não escondia sua emoção. Depois cantou pela primeira vez “Sentado à beira do Caminho”:



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *