Amor & Revolução e a comparação com novelas cuja opinião pública fez mudar e o resultado foi positivo

Eu e meus parceiros de Ponto de Vista estávamos conversando sobre a pauta dessa semana e relembramos que há um ano mais ou menos tínhamos como tema a mudança da pegada em uma telenovela por conta da rejeição do público.
Na ocasião falávamos de Tempos Modernos, um verdadeiro fiasco que não funcionou nem sendo reformulada e praticamente virando outro folhetim.
A história se repetiu, em menor proporção. As pessoas não tiveram paciência de esperar Morde & Assopra acontecer e já a apontavam como um fracasso. Pressionado, o autor mostrou que tinha bala na agulha.
Eu sempre soube disso, apostei em M&A e, bem, a novela é um tremendo sucesso.
Situação diferente também em Insensato Coração e neste caso eu estou incluso na listinha dos que estavam descontentes, mas realmente a história demorou horrores para mostrar a que veio. No entanto, como no exemplo anterior, eu confiava em Gilberto Braga e hoje posso festejar junto aos que esperaram: valeu a pena!
Entretando, contudo, todavia… escrever novelas nunca foi o forte do senhor Tiago Santiago, né? Um mero colaborador que um dia se sentiu desprestigiado na Globo e rendeu bons frutos à Record, mas insisto, estava em uma emissora embalada, ou seja, bem mais fácil conseguir audiência – ainda mais quando se aposta em violência ou em remakes.
Aliás, devo dizer, a ideia de Os Mutantes era bem boa, só precisava de alguém que soubesse escrever os roteiros, assim não teria se transformado naquele samba do crioulo doido.
Idem para Amor & Revolução: uma ideia interessante que trataria sobre um período histórico do Brasil, a ditadura.
Mas vamos combinar? Se alguém estivesse interessado em didatismo voltaria para a escola. Em resumo, Santiago espantou o público.
Agora, com a forte rejeição, ele tem bala na agulha como os citados? Não, aposta em erotismo.
Há um ano, quando estava no ar com Uma Rosa Com Amor e tinha dito que faria uma novela para a família o que ele fez? Violência.
Esse é o jeitinho Santiago de fazer telenovelas.
Ou seja, está explícito porque a Globo não quis.
É tipo político: prometem, prometem, dizem que são isso e aquilo, na hora de mostrar serviço… comem pizza.
“E houve boatos que na Globo ele estava na pior…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *