As crianças e a mágica da vida

Sempre tive afinidade com crianças. Sabe aquela história que dizem que criança e cachorros sabem quem gosta deles e, portanto, sempre se ligam a essas pessoas?

Pode ver, quando não gostam, não gostam mesmo. Sem motivos aparentes.

E eu tive a sorte de sempre funcionar como um imã que atraia crianças e também animaizinhos – no diminutivo porque tenho meeeedo de cachorros grandes.

Há pouco mais de um ano uma menina, Isabelle, chegou em nossas vidas. Minha priminha.

Minha família vivia, há alguns anos, a dor de ter perdido meu primo em um acidente de moto. Nosso brilho tinha se apagado.

Não demorou muito quando, após se mudar pra pertinho da gente, sua luz iluminasse nossas vidas.

Eu via dor nos olhos da minha tia e, hoje, graças a Isabelle, vejo alegria.

E ela desde sempre se encantou comigo, foi amor a primeira vista.

Depois, há quase nove meses, descobri o sabor de ser tio. Dessa vez pude sentir um gostinho ainda mais especial: o de conviver diariamente com um bebê, vendo ali, de pertinho, essa criaturinha de Deus descobrindo dia após dia as maravilhas da vida. Existe todo um encantamento, a cada nova descoberta ganhamos um sorriso.

Ele já dá tchauzinho, manda beijo, bate palminhas… e veio com uma alegria e amor pra dar e vender, tanto que, mais uma vez, transformou ainda mais minha família.

Hoje o mundo gira em torno de Isabelle e Vitor Hugo.

O que eu quero dizer com isso?

Lamentar pessoas que colocam crianças no mundo irresponsavelmente e deixam de lhes dar amor e, ao mesmo tempo, receber tudo em dobro. Triplo, quádruplo…

É uma terapia, coloca a gente pra repensar a vida, valorizar coisas que tínhamos esquecido.

Sabe, vejo meu sobrinho analisar uma porta, passar a mão e olhar todo contente pra gente como se tivesse descoberto algo realmente fantástico.

E, pra gente, é só uma porta.

Entendem?

Eu queria, nesse dia 12 de outubro, dizer o quanto uma criança é importante pra mim hoje. Duas crianças me transformaram e também os que estão ao redor delas. É mágico.

Sempre dissemos que esses pequenos são o futuro da humanidade. E são mesmo.

A forma como são educadas, amadas, é que vai resultar num mundo melhor. Depende de nós, os que podemos orientá-los.

Portanto, que você ame seu filho, neto, primo, amiguinho e que, se por acaso um bebê surgir em sua vida porque “escapou”, não permita que ele escape também no mundo. Segure-o firme em seu colo e sinta a mágica.

Essa mágica, aliás, nem o Mister M é capaz de desvendar.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *