Audiência da TV não é a mesma da internet

31 de julho de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Já disse que uso o Twitter pra ver o que as pessoas estão assistindo e a popularidade – ou falta – das atrações televisivas.

Mas não serve como medição de Ibope. A prova veio com o Saturday Night Live de Rafinha Bastos. Um sucesso nas redes sociais e um fiasco nos números do IBOPE.

O mesmo vale para A Fazenda. No horário da exibição só da gente falando sobre o reality show.

Quando saem os consolidados verificamos que não é “essa coca cola toda”.

O motivo?

Tem muita gente que não apenas está nas redes sociais como também está assistindo TV via internet. por streaming. Essa pessoa, mesmo que tenha um medidor do Ibope em casa, não conta e se conta, vale como “outras mídias”.

Ou seja, a TV ficou para o público mais tradicional, aquele que não está na rede mundial de computadores.

É um público que aos domingos está no Fantástico ou Silvio Santos e, durante a semana, prefere ver novelas e afins no lugar do reality da Record.

Outra explicação não existe.

Acredito que, dessa forma, vale um olhar especial de quem investe em publicidade: na medição do Ibope os números apontam X, mas, na verdade, aquele programa tem público y.

As redes sociais deveriam ser consideradas na hora de se fechar um novo negócio. É um nicho que está em fase de crescimento.