Avenida Brasil: As mil faces de Adriana Esteves

29 de março de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Desde a última segunda já observei três faces diferentes de Adriana Esteves em Avenida Brasil.

Teve a malvada, “bruxa de conto de fadas”, capaz de bater e agredir verbalmente a pequena Ritinha.

A debochada e maléfica parceira de Max com suas dancinhas a cada nova conquista.

Agora estamos conhecendo a “apaixonada”. Como fala bem de Genésio, não? É muito sofrimento pra uma pessoa só, uma viúva daquelas que dizem ter vontade de se jogar na cova junto com o amado. Sabe como?

Aí eu via isso ontem, uma Carminha cheia de “Meu Deus” tratando sobre o marido morto e um Murilo Benício sem expressão.

Tufão deveria ter um sentimento de culpa estampado no rosto, mas só via umas viradinhas de olho indicando tédio.

Ou seja, Adriana está engolindo Benício desde o primeiro momento e, se ele não mostrar serviço, tende a ser assim nos próximos meses.

E é aí que eu digo: Adriana Esteves em muitas ocasiões não teve um papel digno de seu talento.

Na última novela em que participou, Morde & Assopra, Walcyr lhe deu a mesma personagem que ela havia interpretado em Coração de Estudante. Gêmea da Amelinha.

Teve um bom momento como Celinha em Toma Lá, Dá Cá e uma virada profissional quando interpretou Dalva, na minissérie.

Carminha é um novo divisor de águas.

Avenida Brasil está valendo a pena, está mostrando a que veio e, Adriana Esteves, com todo esse talento exposto, torna a telenovela ainda mais imperdível.