#BBB: Sentimento de vergonha alheia

Estou consternado. O que foi aquele mico sem precedentes que a Globo exibiu ontem durante o programa? Juro, eu nunca senti tanta vergonha enquanto assistia a Globo como ontem, nem mesmo acreditei que estava acontecendo.

Pra começar, é bom comentar que o primeiro diferencial dessa edição é que 80% das pessoas que entraram na casa são chatas. Obviamente foram escolhidos porque são difíceis de se conviver e provavelmente isso trará conflitos, mas, como telespectador, fico irritado com tanta gente mimada. Não generalizando, por favor, tem gente legal também. Mas tá difícil.

São pessoas chatas em vários pontos que, juntas, dificultam a empatia com o público. Por exemplo: O casalzinho Michelly e Diogo. Muito forçado, muito mesmo. Não suporto gente que entra ali no intuito de formar casal. Fora isso é burrice, só dá certo quando é de verdade. O que, definitivamente, não é o caso.

Mas vamos comentar o que interessa. Alguém me explica o que aconteceu ontem? Algum inimigo do Boninho invadiu a Globo? Alguma emissora concorrente comprou alguém lá dentro? É inexplicável tantos problemas aparecerem juntos.

Pra quem não viu, na prova do líder os brothers tinham que atravessar um circuito se segurando em uma garrafa de refrigerante, que funcionava por meio de uma manivela. Aquele que caísse teria que se levantar e fazer de novo. Até aí tudo bem, normal. Bom, seria, caso a manivela do grupo verde não tivesse estragado…

A partir daí foi um samba do crioulo doido na programação. O programa já tinha começado tarde por conta da novela que acabou depois das 23h, foi acabar bem depois de meia-noite. Nem nas finais do Big Brother esse tipo de coisa acontece.

E o que me espanta é que não conseguiram sequer colocar o intervalo logo de cara, depois de muita enrolação até isso falhou e o Bial ficou com cara de tacho perante o Brasil. Que mico, hein? Depois voltaram do “mini” intervalo e quem ficou com cara de tacho foi o telespectador “obrigado” a ouvir muita conversa fiada entre o apresentador e os participantes. Mas nada foi pior que ouvir Diogo e Igor cantando. Juro que fiquei com a cara vermelha de vergonha.

Ê, produção!

Depois de muito custo a prova foi realizada. Aliás, foi bem estranho. Não pareceu justa a maneira como foi decidido quem seria o líder. Cristiano, que por enquanto não fede nem cheira pra mim, venceu.

Eu costumo ver o lado bom das coisas. Dessa vez não foi diferente. Eu ri pra caramba vendo todo esse mico da Poderosa e isso deu um “UP” nesse comecinho de Big Broher 11 que, diga-se de passagem, estava bem fraquinho. E tende a melhorar, vem aí a primeira formação de paredão.

Outra coisa: Essa edição do Big Brother BRASIL está sendo idêntica a última do BBUS, a edição americana do reality. Além de ter um sabotador e a maneira como ele foi apresentado ter sido igual, a própria prova do líder foi bem parecida.

Acorda, Boninho!

Por: Thiago (@Intergalatico)



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *