Beijo gay, a transexual #Ariadna e o preconceito

20 de janeiro de 2011 0 Por Endrigo Annyston

Continuo não assistindo essa edição do BBB e tô muito feliz com a audiência baixa. Não porque torço contra o programa, mas porque acho que Boninho precisa baixar a bola. Enfim, não é sobre isso que quero falar.

Logo que vi que Ariadna estaria no paredão já visualizei sua saída. O motivo?

Fácil: o brasileiro é muito preconceituoso.

Sim, o mesmo programa tornou Jean vencedor, mas tem uma grande diferença: ele era, digamos, “hominho”.

Ariadna se apresentou como mulher, mas, em seu histórico, o fato de ter mudado de sexo e de ter feito programas, ou seja, bem mais do que o brasileiro poderia “engolir”.

Isso entra na mesma história do tal beijo gay que nunca sai. E por que não acontece?

Exatamente porque os brasileiros não evoluíram tanto a ponto de permitirem que isso aconteça, apesar de eu ter a sensação de que estamos regredindo.

Pô, em Vale Tudo tinha um casal de lésbicas que funcionou muito bem… porque anos depois Silvio de Abreu teve que matar um outro casal porque o público não aceitou?

Mas também tem o fato de, pelo que sei, Ariadna não “colocou os pontos nos is”, ou seja, não jogou abertamente com o público.

Ela teria ficado caso isso tivesse acontecido?

Não creio, porém, de qualquer forma, se já estão chamando essa edição de casa de repouso o fato de uma das polêmicas do reality já ter rodado pode significar que… #AFazenda3Returns