Bem Estar e E aí Doutor? são bons mas exageram na condução

Acho que tirando Mariana Ferrão, Bem Estar e E Aí Doutor? sofrem por conta do exagero de Fernando Rocha e Antonio Sproesser.

Fernando parece um crianção enquanto Sproesser pensa ser um apresentador americano.

A cada acerto da plateia ele solta um “uauuuu”.

Ah, a plateia não faz questão de disfarçar o treinamento. Nem dá pra perceber que são instruídas a bater palmas e que as perguntas foram ditadas pela produção.

Ou seja, falta verdade, espontaneidade.

Em contrapartida, na questão de conteúdo tanto Bem Estar quanto E Aí Doutor mandam bem e pode-se dizer que abocanham basicamente a mesma fatia de publico com uma audiência variável de cinco a sete pontos.

Considero, inclusive, que apesar de ameaçar a vice-liderança da Record não imaginava essa aceitação. Lógico que a Record esperava mais, mas cinco pontos às 16h para um programa sobre saúde, esse é um índice que deve ser comemorado.

Mas confesso que não é o tipo de programa que me atrai, sou muito mais o médico do Mais Você ou reportagens em outras atrações.

Todo dia, na minha opinião, cansa.

Sou mais o formato variedades, amplia o leque de possibilidades e agrada uma fatia maior de público.

Devo dizer, entretanto, que é louvável a atitude das duas emissoras, especialmente a Record. Deixar de falar ao menos durante uma hora sobre desgraça e fazer jornalismo de saúde é tipo uma vitória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *