Bruna Surfistinha: Um filme melhor que o livro mas com uma história mais pra lamentação que comemoração

20 de julho de 2011 0 Por Endrigo Annyston

Quando saiu o livro Doce Veneno de Escorpião tive curiosidade e li. Achei uma bela porcaria, totalmente vazio.

Agora assisti Bruna Surfistinha – O Filme e a sensação foi a de ter visto algo muito melhor produzido e com história. Claro, contando com show de interpretação de Drica Moraes e Deborah Secco.

O problema?

Se trata de uma história real e, no caso, existe o perigo de alguém assistir e acreditar que vale a pena se prostituir para se dar bem na vida e, quem sabe, como Raquel Pacheco virar uma celebridade.

Avaliando como vida real e não como um filme, conclui que tenho pena de Raquel.

A pessoa se sente desprezadinha pela família e resolve que sair dando para todo mundo que aparece pela frente, a ponto de ser internada, é um jeito de dar a volta por cima?

Ela conseguiu, se realmente acredita que valeu a pena. Eu não acho.

E não estou aqui criticando quem se prostitui, cada um faz o que quiser.

Mas é como uma velhinha que vi uma vez, não me lembro em qual jornalístico, que dizia que se prostituia porque precisava sobreviver.

Lavar uma roupa, conseguir um emprego numa casa de família não tá em questão, né?

Enfim… vale pelo filme, é um bom entretenimento, apesar de bem picante.

Só que tem conteúdo, por isso recomendo.