Campeonato Brasileiro: A caixa de Pandora foi aberta

O mundo do futebol tupiniquim passa por um grande  abalo sísmico. No epicentro do terremoto está a briga  pelo direito de transmissão pela tv aberta dos jogos do Campeonato brasileiro no triênio 2012,2013 e 2014.

Como é do conhecimento de todos,Globo e Record despontam como favoritas pela aquisição do Campeonato brasileiro.  Empenhadas em uma guerra mortal sem fim, as duas emissoras arrastam e mexem com altas autoridades do esporte e instituições e pouco a pouco máscaras vão se derretendo à medida que o calor vai aumentando.

Durante muito tempo a emissora dos Marinhos deteve os direitos das transmissões do futebol no Brasil e sempre foi privilegiada tanto por  promiscuidade com altas autoridades quanto por amparo em uma lei que afastava qualquer tentativa de concorrência no setor. O CADE resolveu entrar em campo e havendo entendido que tal lei causava danos à concorrência tratou de excluí-la. Falo  da tal cláusula que dava a Globo o privilégio de fazer contraproposta à propostas adversárias. À partir daí a Globo ficou nua,e ao menos no que concerne à valores monetários,a emissora ficou obrigada a brigar de igual pra igual com concorrentes. Mas  enganou-se quem achava que a Globo ficaria parada e aceitaria esse fato numa boa.

Foi aberta a caixa de Pandora e todos os demônios que estavam lá dentro foram libertados. Usando de prestígio frente à algumas autoridades movidas por sede de poder, começou a deflagar uma guerra sem limites nos bastidores. A intenção era clarísima: Bagunçar o C13 e com isso fuzilar pedras no caminho como o preisdente do C13 Fábio Koff e do São-Paulo, Juvenal Juvêncio. Com a ajuda de Ricardo Teixeira  foi conseguido causar divergências com o Flamengo com a polêmica Taça das bolinhas. Na outra ponta, André Sanchez,do Corinthians que tem como desafeto mortal o Fábio Koff anunciava ruptura com o C13 sob alegação de que o atual modelo não era interessante ao seu time. Tendo  o apoio dos dois times não foi difícil arrastar outros nomes para o grupo pré-formado. Assim o C13 acabou rachando. Porém…

…Porém parece haver mais coisas entre Céu e Terra do que supõe nossa vã filosofia. Os “rebeldes” acabaram voltando para o C13,com a exceção do Corinthians que mesmo assim não eliminou a possibilidade de também voltar. Segundo informações esses times possuem dívidas com o C13  que os impedem legalmente de se desfiliar do Clube. Acho,porém que tem mais aí. Talvez tenham entendido que foram marionetes de um poder maior e que uma ruptura só lhes trazia prejuízo em benefício daquele. Mas a novela não acabou. Mais capítulos certamente virão.


* do internauta Ary Nunes



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *