Carrie Diaries 1X08 Hush Hush – Algumas considerações

9 de março de 2013 3 Por Endrigo Annyston

Acho que oito é um bom número para avaliar a evolução de The Carrie Diaries, série que mostra a adolescência de Carrie, sucesso de Sarah Jessica Parker em Sex And The City.

De início, devo dizer, AnnaSophia Robb está mais para Madonna adolescente que Sarah Jessica. Sério, ela é tipo filha da rainha do pop.

Não estou falando, no entanto, de atuação. A menina manda bem.

Curioso, aliás, que exatamente neste episódio que resolvi comentar Carrie foi apresentada a duas de suas paixôes: Manolo Blannik e o Cosmopolitan.

TCD tem um elemento importante de SATC: a narrativa. AnnaSophia narrando, desabafando ou “lendo seu diário” pra gente, lembra muito a produção anterior. O tom dela é parecido com o de Sarah.

Acho, aliás, que a Carrie adolescente já carrega “mini” parceiros parecidos com os amigos do futuro. Mouse como Charlotte, Maggie como Samantha e Walt como Satanford.

Todos esses do elenco, os intérpretes, lógico, mandam muito bem. Assim como Stefania Owen e Chloe Bridges.

O mesmo não posso dizer de Matt Letscher, que sempre agrada em comédias mas não está descendo redondo como pai de família.

Pior é Austin Butler. Eu tenho a sensação que, mentalmente, ele está pensando “nossa, como eu sou gostoso”. É muito canastrão.

Nada, nada a ver com o amor da vida de Carrie, o Mister Big de Chris North. Esse sim sabia dar um tom enigmático, blasé, sexy e cheio de charme que o personagem pedia. Esse ar misterioso era o que fazia existir sempre uma duvida sobre a relação de Carrie e Big.

Beau Mirchoff, de Awkward, dá de dez a zero em Austin.

Tirando isso, contudo, é bom dizer: The Carrie Diaries cumpre muito bem sua função como série teen.

Não tem o teor sexual da antecessora, e nem poderia. Mas tem lá suas qualidades. Eu gosto.