Carta Aberta a Maria Adelaide Amaral

Te invejo e te invejo muito. Sabe aquele tipo de inveja que chamam de boa?

Meu sonho era saber escrever bonito, mas um bonito tipo o que você fez em Os Maias. Sim, era uma adaptação do livro de Eça de Queiróz mas tinha sua mão ali, seu texto. Pura poesia.

Pela segunda vez assisti essa inesquecível minissérie, a mais bela obra já produzida na TV nacional. Produção redonda, sem excessos, na medida certa.

Um dos melhores elencos de dramaturgia. Acho que posso dizer sem medo que Ana Paula Arósio, Fábio Assunção, Walmor Chagas, Matheus Nachtergaele, Simone Spoladore e Myrian Muniz tiveram os personagens de suas vidas ali. Outros como Marília Pêra, Ewerton de Castro, Eva Wilma e Sérgio Viotti fizeram total diferença, um show a cada novo capítulo ou aparição.

Direção, fotografia, maquiagem, figurino, tudo de primeira. Aliás, cabe um elogio especial a Luis Fernando Carvalho, diretor. Seu estilo é muito criticado, nem sempre agrada, mas em Os Maias ele mais que acertou!

Tenho pra mim que esse é seu melhor trabalho, o mais caprichado. O de menor repercussão com relação a audiência, é verdade, mas Os Maias foi elogiadíssima pela crítica.

Até acredito que se fosse exibida atualmente teria números ainda menores, basta ver o que aconteceu com O Brado Retumbante. O público, em geral, prefere produções mais populares e não tão sofisticadas, uma pena. Por isso em poucas ocasiões temos a oportunidade de apreciar tão belo trabalho.

E não te admiro apenas por Os Maias e sim por conta, ainda, de Anjo Mau, Dercy de Verdade, Dalva e Herivelto, JK e A Muralha, todos de qualidade inquestionável.

Escrever bonito é um dom e você o domina. É minha autora favorita e espero poder assistir e apreciar muitas outras produções.

Obrigado a você por esse presente, a todo o elenco e colaboradores e especialmente ao Canal Viva por ter reexibido esse belo trabalho.

Mais uma vez me envolvi e me emocionei. Parabéns!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*