Caso Zezé Polessa: uma sociedade que joga pedras de olhos fechados através de uma janela de cristal!

17 de janeiro de 2013 0 Por Endrigo Annyston

Tenho acompanhado a repercussão do caso da Zezé Polessa e as vezes fico indignado com o quanto as pessoas são hipócritas, sem personalidade e cegas. O que estão fazendo com essa mulher é um julgamento de quem acredita em tudo o que se vê e se fala. De quem é limitado. Que aceita as informações sem se questionarem.

Gostaria de perguntar a todos que estão acusando a atriz se chegaram a ouvir a sua versão dessa história? e todos que estão apedrejando a Zezé viram alguma notícia falando que há provas contra ela? ”Testemunhas disseram”. Que testemunhas?

Se ela foi grosseira com o taxista porque ele estava errando o caminho, ela deveria estar no trânsito, dentro do carro, certo? Onde estavam as testemunhas? No porta-malas? Há sim a possibilidade de ter mais gente dentro do carro, mas acredito não ser muito provável, já que o motorista, segundo a imprensa, estava a levando exclusivamente para essa locação. As pessoas estão sendo cruéis com ela porque não estão lhe dando o benefício da dúvida. E é engraçado o preconceito que as vezes se tem com atores globais, logo de cara já tem gente falando que ela se acha superior, arrogante, etc.

Não estou dizendo que ela é inocente ou culpada, apenas que  NÃO HÁ PROVAS, NÃO OUVI A SUA VERSÃO e que por isso não posso tirar conclusões.

Na verdade, este texto é mais um desabafo de quem se incomoda com a capacidade que as pessoas tem de se acharem Deus, perfeitas, donas da razão e da verdade, e se sentirem no direito de apontar o dedo para uma pessoa como se todas elas fossem 100 % íntegras, sem cometer erros, vivendo sempre em cima de um pedestal.

Ainda que ela tivesse sido um pouco grosseira devido ao nervosismo, todos nós estamos sujeitos a isso, a não nos controlarmos e, em situações de stress, perder um pouco a compostura. Que atire a primeira pedra quem nunca se exaltou e discutiu com uma outra pessoa que estava cometendo algum erro iria te prejudicar? Quem nunca se exaltou durante uma discussão? Uma briga em família? No calor do momento, agimos por instinto, e infelizmente na hora não pensamos no que nossas palavras podem causar de efeito.

No caso da Zezé – que reafirmo, caso ela tenha realmente discutido com o taxista, foi uma questão de azar ele ter problema de saúde e passar mal. Quem garante que o stress não pode ter sido realmente o fato dele ter errado o caminho e saber que isso podia prejudicar seu trabalho? Quem garante que ele já não devia estar abalado psicologicamente com uma outra coisa e qualquer um que levantasse um pouquinho mais o tom de voz poderia ser a gota d’água?

É muito fácil criticar as atitudes dos outros, pois assim, apagamos as nossas e nos defendemos de nossos próprios defeitos.

Questione-se!

* Vinícius Cortez