Celebridades ensandecidas em busca da fama

5 de março de 2011 0 Por Endrigo Annyston

*Por Wander Veroni 

 Muito provavelmente esse tipo de notícia não acrescenta nada de útil na vida de ninguém. Mas, pelo fato do ser humano ser um curioso nato, as notícias que envolvem o mundo das celebridades sempre chamam atenção do público e, de certa forma, se conduzidas de uma maneira ética, podem até dar uma certa leveza aos noticiários. As maluquices de algumas celebridades se confundem, muitas vezes, com a página policial ou em manchetes sensacionalistas da imprensa marrom. Vendem revista e dão muita, mas muita audiência. Quem não gosta de uma polêmica que atire a primeira pedra?

No entanto, é  de se causar estranheza as loucuras que muitas celebridades fazem para ficar famosas, colocando em cheque o próprio trabalho. Ou ainda, artistas que “chutam o pau da barraca” para a fama e se envolvem em barracos e escândalos. Recentemente, os fãs da série “Two and a Half Men”, ficaram desapontados com o comportamento aloprado do protagonista Charlie Sheen, que declarou usar drogas, promover orgias em sua casa com atrizes pornô, além de brigar publicamente com o produtor da série.

Cheen era um dos atores mais bem pagos da TV norte-americana e “Two and a Half Men” é um sucesso nos Estados Unidos e em vários países onde é exibida. Com as constantes loucuras e estrelismo do protagonista, a série foi cancelada. Dá para entender uma coisa dessas? Num último resquício de tentar não perder a visibilidade avassaladora que conquistou em meio a tantas polêmicas, Cheen entrou para o Twitter e conquistou mais de 1 milhão de seguidores em menos de 24 horas. Uma sobrevida fora da TV, no mínimo. E a lista de celebridades ensandecidas não para por aí: Ammy Winehouse, Lindsay Lohan, Britney Spears, Christina Aguilera, Whitney Houston, Joaquin Phoenix, etc. Cada um, a sua maneira, deu uma certa surtada e, depois de cair a ficha, tentam retomar ao estrelato. Uns até conseguiram, outros ainda lutam para se livrar do vício das drogas e do envenenamento do próprio ego.

Na TV, uma série que foi cancelada na segunda temporada, foi muito feliz ao retratar a indústria das celebridades e o mundo paralelo das capas de revistas sensacionalistas. A série “Dirt”, protagonizada pela atriz Courteney Cox Arquette, vivia a jornalista Lucy Spiller que tinha uma rede de informantes e paparazzis que a ajudavam a criar novos escândalos a cada semana. Entre os críticos, há quem diga que Miguel Falabella se inspirou em “Dirt” para criar a série brasileira “A Vida Alheia”, da TV Globo, que também falava do grotesco mundo das celebridades. E por falar no nosso “país de chuteiras”, que leva à fama algumas “Maria-Chuteiras” ao título de “modelo-atriz-apresentadora”, também temos as nossas celebridades “ensandecidas” pela fama.

Só que, no nosso caso, acontece algo que cabe uma reflexão ainda maior. Muitos pretendentes à celebridade acreditam que a vida pessoal escancarada nas páginas de revista e sites de fofoca, é mais relevante do que construir um trabalho sólido como ator, modelo, cantor ou personalidade. Se envolvem em escândalos amorosos e são flagrados por paparazzi em cenas, muitas vezes, articuladas por empresários ávidos por uma notinha. Geralmente, não são artistas. Querem apenas os 15 minutos de fama, mas não um trabalho artístico.

Há também aqueles que mostram uma total falta de personalidade diante da própria carreira. A cada trabalho uma nova proposta e uma tentativa desesperada de cativar outro público. Só para citar um exemplo, temos Wanessa (ex-Camargo?). Ela já foi do sertanejo ao pop. Já foi romântica, cantou hip hop e agora está num batidão eletrônico de olho no público GLBT. A cada novo álbum vemos uma nova Wanessa, inclusive no visual. Uma menina que tem um potencial vocal enorme, mas não tem personalidade musical. Num mudo que pede por novidade, creio que essas mudanças tão bruscas na carreira são prejudiciais à própria artista que não fideliza um público. Será que vale tudo para ser famoso?
________________________________________


*Autor: Wander Veroni, 26 anos, é jornalista pós-graduado em Rádio e TV, ambas formações pelo Uni-BH. É autor do blog Café com Notícias (http://cafecomnoticias.blogspot.com). Twitter: @wanderveroni / @cafecnoticias.