Cena Aberta “deixa” o computador e vira livro

26 de março de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Desde que vi o amigo @pedrofabrini lançando o livro O Diário de Jacob pelo site Clube de Autores, que eu desconhecia, fiquei com aquilo martelando em minha cabeça.

Há alguns anos escrevi um livro analisando a credibilidade da internet. Comecei enquanto ainda cursava jornalismo. Não consegui publicar.

E nem dá mais, a internet muda diariamente numa velocidade assustadora. Está defasado e não tenho interesse em atualizá-lo, virou meio que minha primeira decepção.

Mas voltei a me animar por conta desse Clube, tenho várias ideias em mente, entre elas, compartilhar um pouco da história do Cena Aberta com vocês. Mais que isso: a possibilidade de verificar o quanto a TV mudou, pra melhor ou pior, nessa última década.

Passei os últimos dias revirando a internet buscando artigos. Não foi fácil, quando comecei eu não tinha essa visão de que precisamos documentar tudo. Mudava de servidor como quem muda de roupa e só pude recuperar mesmo o período em que o Cena esteve no blogger e agora no blogspot.

Por sorte consegui alguma coisa dos tempos de weblogger.

Em “Quem TViu, Quem TVê” reuni artigos que me surpreenderam. Eu não me lembrava de ter dito que certa novela era a “da minha vida”, e não estou falando de A Favorita, foi antes disso.

Em algumas passagens uma briga para que o SBT desse uma sacudida. É sério, logo no início estou dizendo que o Pânico é o melhor programa da TV e tem um monte de elogios à Record.

Num tempo em que as novelas do SBT também tinham críticas positivas. Se recordam das tramas produzidas em parceria com a Televisa?

Não eram uma Éramos Seis ou As Pupilas do Senhor Reitor, mas superam o que vemos hoje.

E o tropeço da Record que estava em ascensão? Época em que o sensacionalismo ainda não era estrela.

Tem meu último elogio ao Aguinaldo Silva. Vocês sabem em que novela foi, né? No mesmo em que elogiei Susana Vieira.

Lá no túnel do tempo também critico Elizabeth Savalla por estar interpretando a mesma vilã cômica de sempre em telenovelas de Walcyr Carrasco. E nada mudou.

Tem a Favorita? Tem sim, senhor!

Enfim, tem muita coisa, são quase duzentas páginas.

Selecionei, inclusive, as três entrevistas que mais adorei fazer. Não estão inteiras, são os trechos mais interessantes.

É algo que eu gostaria de ter, por ter um pouco de minha história ali, ao mesmo tempo em que quero compartilhar com vocês, amigos e principais responsáveis por esse espaço estar completando 12 anos no ar em abril.

É mais que uma década e é ininterrupto. O Cena Aberta é um dos primeiros blogs do Brasil, tenho orgulho disso.

Estou disponibilizando o “Quem TViu, Quem Tê Vê – Os Altos e baixos da fábrica de sonhos” antes da estreia de Avenida Brasil pois acredito que a partir de segunda iniciaremos um novo ciclo, juntamente com a comemoração do aniversário do Cena.

“Quem TViu, Quem Tê Vê – Os Altos e baixos da fábrica de sonhos” é vendido através do Clube de Autores, clique aqui e confira!

:: O Preço do livro diminui de acordo com a vendagem e número de comentários


:: A imagem da capa é do amigo Marcelo Rego