Cena Aberta, Fina Estampa e uma crítica necessária

Antes de tudo,  preciso dizer, não assisto a novela de Aguinaldo Silva. Aliás, devo dizer, não acompanho novelas na Tv Globo há um bom tempo. A última que acompanhei de cabo a rabo, coincidentemente foi de Aguinaldo Silva, “Senhora do destino”. As vilanias da inesquecível Nazaré, personagem brilhantemente interpretada por Renata Sorrah ainda me paira na memória; Giovani Improtta e seu estiloso português, personagem de José Wilker também me traz boas lembranças. Ponto parágrafo.

Voltando aos tempos atuais, preciso falar da atual obra de Aguinaldo Silva, “Fina Estampa”. Nessa semana o CENAABERTA fez algumas críticas à novela que me chamaram a atenção. Penso que muitas dessas críticas, feitas pelo fígado demonstra uma certa perseguição do site para com esse autor que, à despeito de sua personalidade polêmica , traz em sua biografia obras memoráveis.  Aguinaldo Silva é mesmo um cara polêmico e suas incursões através das redes sociais não raro causa certo clamor, pela contundência e pela expressão de um ego que não cabe em saturno.

Devo dizer que já tive um certo pé atrás com esse autor exatamente por causa desse seu estilo. Com o tempo passei a admirá-lo também por esse motivo. É uma dessas coisas inexplicáveis da vida, eu sei. O fato é que Aguinaldo Silva, com seu estilo “que se dane o politicamente correto” mostra uma personalidade sem medo de ser feliz e, sobretudo, sem medo de críticas. Pois muito bem.

UMA GUINADA NA GLOBO:

Antes de mais nada, preciso fazer umas ponderações aqui pra dar substâncias ao que virá à seguir.  É do conhecimento de todos que houve uma guinada nas várias estruturas da Rede Globo no intuito de conquistar a audiência da nova classe “c” uma classe que emergiu nos últimos anos, ganharam maior poder de consumo e com isso ganhou maiores atenções pela emissora. Isso aconteceu no jornalismo e também na teledramaturgia. Antes mesmo da estréia de “FINA ESTAMPA” já existia citações na mídia que davam conta sobre uma guinada e uma linguagem mais popular, vamos assim dizer, na novela de Aguinaldo que estrearia. O próprio Aguinaldo já dizia que sua novela seria mesmo uma espécie de cozidão com um caldeirão cheio de elementos que deram certos em outras tramas.

Aguinaldo Silva é, sem dúvidas, o autor que mais aborda temas populares em suas telenovelas. E ele faz isso com maestria, com um pé nas costas. Com FINA ESTAMPA não poderia ser diferente. Embora eu não assista, vejo pelos comentários espalhados nos fóruns da net agora, muitas situações nessa novela que remetem ao que foi explorado em novelas anteriores. Especialmente de obras do próprio autor. Isso também não é exclusividade de Aguinaldo, pois alguns atores, por conta do estilo, acabam repetindo situações criadas por eles próprios em obras anteriores. E é nesse ponto que quero chegar.

Nessa semana o CENAABERTA publicou um post em que fazia menções que FINA ESTAMPA não seria uma novela memorável. No post o Endrigo recolheu comentários de alguns navegantes e os trouxeram pra dar guarida à manchete. Aqui, devo esclarecer, respeito as opiniões de todas as pessoas que tiveram seus comentários citados e suas opiniões devem ser preservadas em nome da democracia e do gosto de cada um.

Em muitos fatores, acho que FE pode sim ser uma novela memorável. Não é possível esperar que criem um personagem no nível de uma Nazaré, um Giovani Improtta ou Odete Roitmann que marcaram suas respectivas épocas e ficaram na memória dos brasileiros. Isso não é culpa do autor, mas sim dos novos tempos. Vamos e convenhamos: com a forte concorrência de informações nas diversas mídias e na própria televisão (A Globo já não é a mesma de antes), é praticamente impossível criar um personagem na dimensão de uma Nazaré, por exemplo. Acho meio difícil aparecer um autor nos dias de hoje que consiga isso.

Porém, apesar de tudo, acho que FE pode ser uma novela memorável mais pelos bastidores do que pela novela em si. É uma novela que conseguiu um grande feito, qual seja, de inverter a curva de decadência que vinha sofrendo os folhetins globais, nesse horário. Aguinaldo Silva será visto como o primeiro autor bem sucedido na criação de uma novela que, à despeito das críticas, conseguiu falar com um público novo. Os autores vindouros passarão por esse teste, aí tiramos a prova dos nove.

AUDIÊNCIA NÃO É TUDO, MAS…:

É bem certo que audiência não é tudo pra se mensurar aquilo que é sucesso e aquilo que é fracasso. Mas audiência diz muito sobre uma obra que é dirigida para grandes massas. em televisão,especialmente as comerciais, o sucesso é quando um produto consegue falar com o público para o qual é dirigido. Nesse sentido, a obra de Aguinaldo Silva é sim um sucesso.

O CENAABERTA fala em estagnação de audiência, que a novela não vive uma boa fase e que perdeu o ritmo. É preciso dar à Aguinaldo o que é de Aguinaldo. Audiência estagnada, nesse caso, não pode ter ares negativos como quer o CENA, uma vez que estagnou em números bons e, além de tudo, sugere fidelidade do público. Em que sentido o CENA afirma que a novela não vive uma boa fase não sei, mas acho que, à despeito das opiniões dos internautas, a fase parece ser boa, sobretudo quando em comparação com folhetins de um passado recente.

Um abraço e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *