Cheias de Charme: As meninas que encantaram o Brasil

28 de setembro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Acredito que nenhuma das atrizes que interpretou as Empreguetes tinha algo para provar.

Leandra Leal e Isabelle Drumond basicamente estão na telinha desde que se conhecem por gente.

As duas já mostraram seu potencial lá no princípio. Isabelle como aquela fofura de Os Maias, chamando a atenção pela graciosidade e, depois, como a espevitada Emília do Sítio. Antes de Cida, seu papel mais marcante. Acredito que agora rola um empate.

Leandra, com muito mais tempo de estrada, já tinha ido da comédia ao drama, sempre convencendo. Lembro, em especial, da Bianca de O Cravo e a Rosa.

Já Taís, essa teve que provar um pouco a que veio. Nem sempre agrada a crítica. E eu sempre discordo.

Acho, por exemplo, que estava no tom da Helena que Maneco lhe propôs, e, à época, recebeu uma avalanche de comentários negativos.

Além da Helena, adoro suas passagens por Cobras & Lagartos e A Favorita. O adooooro é proposital por conta da última personagem, lógico.

Penha, aliás, também é criticada pelo jeitinho de falar. Vejo como exagero, é exatamente isso que torna a personagem tão próxima da realidade e, por isso, cria identificação com o público.

As três, em Cheias de Charme, estiveram perfeitas e, digo mais: geralmente é tão difícil acertar uma única protagonista e, nesse  folhetim, quem escalou as três, conseguiu um golaço.

As Empreguetes foram um sucesso pela história pensada pelos autores, direção, mas, especialmente, por conta do empenho do trio.

Farão falta… eu já estou com saudade!