Cinquenta Tons de Cinza e o Sucesso Que eu Não Entendo

Best seller mundial, atores hollywoodianos disputando os papéis para a versão cinematográfica, vários leitores embarcando no universo de Christian Grey e Anastacia Steele e eu me pergunto: qual é a graça desse livro?

Comecei a ler logo que adquiri o exemplar em meio a tantos comentários sobre o “pornô para mamães” e ai veio minha decepção. Completamente cafona, falas e personagens chatos, um relevado atraso na trama para que começasse a surgir o que seria a relação entre o casal principal foi me deixando aflito e sem paciência. O sadomasoquismo unido a passividade excessiva de Anastácia e enorme ego de Christian (que deveria ter um teor sexual, causar atração, mas no máximo surge efeito contrário) vão fazendo com que o que já era chato, se torne insuportável.

Como dizem várias críticas, talvez o livro seja realmente feito para as mulheres, para quem no fundo entre na história e curta todo esse universo de dominação e relações sexuais aliadas a algemas, chicotes e derivados. Pra mim foi desperdício de tempo que apenas matou a minha curiosidade perante a tantas especulações, já vendi o exemplar que adquiri na época da pré-venda e foi para uma moça, que certamente terá uma opinião diferente da minha.


* por Guilherme Rodrigues, estudante de jornalismo da UNITAU



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *