Clandestinos: Era péssimo, mas foi ótimo

Comecei a assistir essa produção sem esperar absolutamente nada. Acho esse método infalível: se você não espera nada e for ruim, não perde; se for bom, sai totalmente satisfeito. Foi o que me aconteceu.

Logo que entrou no ar pensei: ihh, esse trem tem tudo para ser chato. Vai falar do que, bastidores de uma peça de teatro? O que vai ter de legal? E foi péssimo.

Mas daí foi ótimo porque a série deu uma tremenda virada em questão de segundos e ficou claro que seria isso mas não apenas isso. Tinha… pegada!

Achei Adelaide um achado, uma das melhores surpresas que tive na TV esse ano. O “Jeitim” dela falar é algo envolvente… tem carisma pra dar e vender. Adelaide de Castro, não conhecia… tá aí uma revelação para a TV.

E gostei de todo o resto, texto, direção, trilha sonora… quando terminou ficou um gostinho bom de quero mais!

Ou seja, era péssimo, mas ficou ótimo mesmo. Mas se você gostou, não me liga tá?



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *