Classificação indicativa na TV: Se nos ofendermos é só mudar de canal!

30 de março de 2011 10 Por Endrigo Annyston

Analisando bem os fatos acho que sou totalmente contra a classificação indicativa. Se nos sentirmos ofendidos com um programa ou novela, é só mudarmos de canal. Se achamos que as crianças não podem assistir, é só não deixar. É claro que um pouquinho de bom senso não faz mal a ninguém, mas definitivamente não cabe ao Governo decidir em que horário podemos assistir os programas ou novelas de que gostamos.

Como disse o James Akel, se querem proteger as crianças, protejam as que estão jogadas na rua, pois as que estão em casa tem os pais para cuidarem das mesmas. Como eu já disse Camaleões do Sbt foi a primeira vítima, quais serão as próximas?

E outra, quem garante que as crianças ou adolescentes não estou vendo coisa muito pior na internet ou na Tv a Cabo? Quer dizer que o “Mal” só está na TV aberta?

Acho que os senhores políticos deveriam cuidar de outras coisas mais importantes. A classificação poderia até existir, mas para informar para que idade aquele programa é apropriado, mas não para determinar o horário dos programas. E além do mais, quem diz que tal censores, como disse o Flavio Ricco, tem competência para avaliar o que pode e o que não pode? Triste fim.

Eu não disse tudo que disse porque reclassificaram uma novela do Sbt. Malhação, por exemplo, está cada vez mais apática, e a classificação é uma das culpadas por isso. Estão retratando o consumo de drogas com o personagem Artur, mas como não se pode mostrar o consumo fica uma coisa completamente irreal e outra o cara aparece sempre bonitinho e com uma aparência sempre saudável. Simplesmente destoante da realidade de um drogado. Mas é só minha opinião.

* do internauta Gilmar JM