A cobertura polêmica do BBB

Não tem jeito. O assunto dominou a mídia nacional e até a internacional, com efeito também o Cenaaberta e não tem como deixar de falar sobre a polêmica envolvendo o BBB. Acredito que nem a Luiza (que estava no Canadá), escapou dessa. O reality já é um programa barulhento por natureza. Adicione-se a ele as redes sociais e suspeita de um estupro, pronto!!! Temos a química perfeita de uma bomba atômica. Ainda não arrisco dizer se  tudo ficou do jeito que o diabo gosta, se o diabo calculou mal o excessivo uso de explosivos ou mesmo se o diabo foi mesmo pego de calças curtas.  Arrisco dizer, porém, que num reality existe menos verdade do que muitas obras de ficção. Uma telenovela, por exemplo, tem um certo pé no chão e até certa altura segue um roteiro baseado na vida real. Enfim, mas essa não é a questão aqui. Quero falar da cobertura do Cenaaberta nesse imbróglio.

Antes de prosseguir quero tirar o capuz de carrasco e parabenizar o CENAABERTA pela cobertura imparcial que fez desse caso. Aqui foram feitas as cobranças e as críticas necessárias-especialmente à tv Globo, cuja tentativa de abafar o caso nos saltou aos olhos.

Colocando novamente o capuz de carrasco, minha crítica ao CENAABERTA vai à contundência exagerada, atropelando fatos ainda não comprovados, baseado apenas em imagens insinuantes. Como disse anteriormente e até parabenizei o site pela postura em cobrar da Rede Globo uma postura diante dos fatos que iam a sol alto nas redes sociais e mídia, foi legítima a atitude do Cena. Errou porém, em protesto contra o silêncio da Globo, tratar o assunto como fato consumado, a saber: o estupro.

A polêmica foi acalorada, ganhou o mundo e produziu assuntos desde páginas de entretenimento de revistas, jornais e portais, até às páginas policiais. Havia, porém, a necessidade de comedimento e creio que nesse sentido, o CENA acabou pisando na linha vermelha. Tratar indícios como fatos consumados, acredito, não é sensato, mesmo sob as asas de uma cobrança de manifestação oficial da emissora. É preciso um pouco mais de cuidado com os julgamentos prematuros.

Ao final de tudo, o CENA publicou um post mais maduro, pedindo comedimento, alegando que o suposto agressor, dentro de toda aquela conjuntura (envolvendo bebidas, cama e mulher), não era enfim, um estuprador, vamos assim colocar, profissional. Ante o rapaz fora vítima de uma circunstância que o levou a agir como agiu. Ainda fazendo esse meio termo, o CENA errou ao continuar atribuindo ao Daniel a pecha de estuprador e isso, até aqui, não é um fato provado e uma investigação policial segue em andamento.

Para encerrar esse assunto: Leitores poderão achar contradição nesse texto ao achar correta a atitude do CENA em cobrar da Globo uma posição sobre os acontecimentos e, ao mesmo tempo, criticar o site por julgamento prematuro. Não há essa contradição porque são fatos distintos. A cobrança que se fazia de uma posição da Globo (e dado o barulho ela se fazia necessária), era a necessidade de uma posição da emissora sobre o que estava fazendo sobre o caso. E houve um solene silêncio. Mais do que isso: a noite deu-se a impressão que a Globo queria mesmo era colocar fogo na mata, quando Bial referindo-se ao caso, mandou: “o amor é lindo”.

DATENA: HERÓI E VILÃO À DISTÂNCIA DE UM POST

Muito bem. É visível a má vontade que o CENA tem para com a Record. O Endrigo consegue trafegar entre paixão e ódio numa velocidade maior do aquela em que as descargas elétricas trafegam através do éter. Isso ficou evidente quando vejo o CENA publicar um post descendo um pau naquele que o site considera a besta-fera do jornalismo “urubu”, quando esse aparece no programa de Adriane Galisteu (sei que o Endrigo é fã de Adriane) fazendo pouco da moça, se recusando a falar do assunto envolvendo o BBB e ainda, de modo desajeitado e deixando a moça sem graça, ao dizer que não sabe como as pessoas perdem tempo com isso (ela falava disso). Em seguida outro post, dessa vez o DATENA vai ao paraíso e temos um post com esse título: “Datena esculacha a Record”. Onde estava aquele Datena desajeitado, mal criado e que fala pelo nariz??? Não se sabe o que o Endrigo fez dele, sabe-se somente que agora ele é o suprasumo do jornalismo sério e tem autoridade para, vejam s� �: esculachar a Record.

PS: no box o Endrigo quis se explicar e até fez uma coisa que nunca tinha visto fazer no CENA: Elogiou o Datena e disse que ele é bom no que se propõe a fazer. Fato raro, pra não dizer inédito,hehe.

Vou ficando por aqui, um abraço e até a próxima.


* por Ary Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *