Com crise se cresce ou se emburrece?

12 de junho de 2010 0 Por Endrigo Annyston

Muito tem se falado sobre a queda da audiência das telenovelas no Brasil, atribuindo esse fenômeno ao confronto das TV´s com internet ou DVD´s.

Sim, existem opções, no entanto não acredito que esse seja o real motivo para o principal produto de nossa TV, exportado para todos os cantos do mundo, estar em queda. Prefiro a hipótese de que a criatividade está indo pelo ralo.

O motivo é simples: existe uma pressão por criar, produzir novas e boas histórias. E não é assim que funciona, todo bom escritor precisa de inspiração, sentar com calma e colocar as ideias no papel.

Agora, vejam bem, a maioria dos novelistas está há anos ocupando os melhores cargos. Será que a criatividade deles ficou parada no tempo? É possível, haja vista o tanto que se repetem.

Seria a hora de dar oportunidade para novos roteiristas? Sim, acredito que precisamos de renovação. João Emanuel Carneiro, Elizabeth Jhin, Duca e Telma são prova disso.

Caso contrário seremos reféns de novelas cheias de tiros que fingem retratar a realidade quando na verdade só chamam a atenção para o nada.

Ou seja, esse artifício não faz com que os profissionais e os envolvidos no projeto cresçam, pois buscar o lado mais fácil de conquistar audiência emburrece.

Em resumo, se ao invés de contornar a crise com criatividade vamos reproduzir o noticiário, então é melhor partir para programas policiais fulltime, é mais barato e os índices são os mesmos.

* por Endrigo Annyston