Conexão Direta de Sarah Oliveira é bom e ruim

19 de novembro de 2010 0 Por Endrigo Annyston

Assisti o Conexão Direta, novo programa de Sarah, e tirei algumas conclusões:

1- 15 minutos é pouco tempo, ou seja, se a intenção é que conheçamos um pouco mais o convidado fica devendo;

2- O programa só vai ser bom para o telespectador quando o convidado for de seu interesse;

Em resumo, o pouco tempo de arte e o fato de nem sempre ser interessante não justifica o fato de Conexão Direta ter virado um programa solo quando podia funcionar como quadro do Fantástico, que era a ideia original.

Neste caso, no entanto, eu fico com o Anjo da Guarda, quadro super bacana de Patrícia Poeta que ficou esquecido no tempo.

Talvez se o Conexão Direta mostrasse um pouco da casa do convidado, seus hábitos, comidas favoritas ou coisas assim essa conexão pudesse realmente funcionar.

Não que o programa seja ruim, mas é que como atração solo a impressão é a de que fica devendo, e superficial.