Cordel Encantado perde o embalo e definitivamente não é “nova” A Favorita

1 de julho de 2011 0 Por Endrigo Annyston
Tô assistindo Cordel Encantado quando dá.
Explico: não precisa ser por algum compromisso no horário, pode ser apenas um “quando dá vontade”.
Olha, até minha mãe já disse que a novela está chata.
Não dá pra engolir esse vai e vem entre Jesuíno e Açucena.
A história dos dois não era o plano de fundo de Cordel no início, mas agora, quando o folhetim perdeu o embalo, o foco tem sido esse formato novelinha, trazendo o casal central como o principal trunfo.
Insisto: o humor sempre foi a grande sacada da história.
Quando Patácio, Ternurinha, Ursula e alguns outros surgem na telinha a risada continua garantida, contudo, tá difícil ficar ligado na novela, pois eles pouco aparecem.
Em resumo, ocorre o mesmo que em Cama de Gato: era boa enquanto as autoras tinham bala na agulha, depois, virou o que eu já disse: uma telenovela como outra qualquer, focada em um casal que sofre por amor.
Blé!
Minha nova A Favorita? Nem a pau Juvenal!