A crise da Record em números

10 de maio de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Acho que é possível dizer que a Record vive sua pior fase desde que embarcou na onda de “a caminho da liderança”.

Essa crise nasceu por duas razões:

1- Quando encontram um produto que agrada, ao invés de buscarem outro para somar, desgastam o sucesso até que vire um fiasco;
2- Mudanças constantes de horário;

Pesquisei na internet e encontrei números da emissora nos últimos quatro anos, todos referentes a uma terça feira de maio – o mesmo período vai de acordo com estações do ano e isso influencia e muito nos resultados, haja vista o que o verão faz com as emissoras.

No último dia 7 o Fala Brasil fez sete pontos, Hoje em Dia cinco e Máscaras sete.

Em 2011 o Fala Brasil marcava oito, Hoje em Dia cinco e Vidas em Jogo dez. O Ídolos era considerado um fracasso com nove pontos e, veja que coisa, a série Fora de Controle estreou essa semana com seis. E olha que é policial.

No mês de maio de 2010 o Fala Brasil tinha oito, Bela a Feia 14 e o CSI estava no auge, com 11 – Vidas Opostas tem feito cinco.

Quando a emissora já estava degringolando, saindo da trajetória de alta, em 2009,  Fala Brasil tinha sete, Promessas de Amor dez e Poder Paralelo idem.

Isso aconteceu após a segunda versão de Os Mutantes, aquele sucesso arrebatador que a emissora insistiu em dar continuidade. Terminou quase com nada de audiência.

Foi nessa época que o barco parou de nadar a favor da rede.

O único programa que tem se mantido é o Fala Brasil com seu jornalismo sensacionalista.

O Hoje em Dia que incomodava a concorrência com sete pontos atualmente se contenta com quatro ou cinco, muitas vezes na terceira posição.

As novelas, que na época de Prova de Amor e Os Mutantes ameaçavam a liderança global, hoje sofrem com oito. E chegam a seis.

O Jornal da Record viveu tempos gloriosos, registrava doze. Hoje faz metade e tem dia que tem menos audiência que os informativos da concorrência.

Ídolos, O Aprendiz, Troca de Família, A Fazenda, nenhum desses programas consegue repetir os índices das primeiras temporadas.

A audiência só não termina de despencar por conta das “coberturas jornalísticas”, tipo o caso Pedro Leonardo, Pica Pau e Chris, Legendários e Domingo Espetacular.

O Melhor do Brasil e Tudo é Possível não vivem boa fase e o Programa do Gugu só assusta de vez em quando, no geral, segue morno.

A esperança continua sendo a Olimpíada, mas, mesmo que dê algum resultado, é passageiro.

E pensar que realmente parecia que o canal realmente incomodaria a Globo, entretanto, repetiu a mesma ladainha da Manchete e SBT tempos atrás.

Tudo isso sem contar as estrelas que já pularam do barco, né?

Continuem tentando, quem sabe cola!