Crise na teledramaturgia: O triunfo das histórias recontadas e o bloqueio criativo generalizado

Ei, você. É, você  mesmo. Para você que estudou ou ainda estuda, qual a sua dificuldade de fazer uma redação? Escrever sobre seja qual for o assunto pode ser uma tarefa muito complicada. 
Se é difícil escrever uma redação, pense na dificuldade que é escrever uma novela?  
Claro, podemos alegar que um escritor é pago pra isso, que certamente ele tenha mais formas de superar as dificuldades, e que telenovela é apenas uma tentativa de robotizar a sociedade em direção ao caminho das sombras (acredite, já ouvi isso)… mas quem disse que as histórias simplesmente brotam do nada?  
Sim, acredite: não estou enchendo lingüiça antes do texto começar. É apenas uma constatação. O tema do Ponto de Vista hoje é a crise das telenovelas. Afinal, crise deve ser a primeira coisa que vem em mente quando as reprises começam a fazer mais sucesso que as atuais.  
Bloqueio criativo? Talvez. Seria uma justificativa e por isso mesmo comecei o texto falando na dificuldade de escrever. Ainda maior no caso de escritores de telenovela se considerarmos que praticamente todas as histórias já foram contadas.  
Ok, é extremo falar nisso, caso contrário livros não seriam mais escritos. Mas pense na dificuldade de um novelista, já que precisa lidar com uma obra que no fim será influenciado por tudo e por todos, a ponto de depois sequer ser reconhecida como sua… ou você acha mesmo que “Bang-Bang” e “Tempos Modernos” não sofreram influência nenhuma? 
Grandes histórias sempre merecem ser revistas. Caso contrário, “Senhora do Destino” de Agnaldo Silva não teria alcançado audiência invejável até mesmo no Vale a Pena Ver de Novo. Mas poderia ser um caso isolado, o que não é. Recentente ”Sinhá Moça” esteve muito próximo de “Malhação” no Ibope, da mesma forma como sua antecessora “Alma Gêmea” esteve muito próxima de “Malhação”, “Cama de Gato” e “Tempos Modernos”, chegando até mesmo a ultrapassar algumas tramas.  
O público exige criatividade, e ao mesmo tempo desmerece e desqualifica qualquer tipo de esforço, agindo simplesmente como pequenos tiranos, reclamando em alto em bom CAPSLOCK de como “escritor-tal” apela para ganhar audiência, ou de como sua novela é ruim. Simplesmente isso. Fica um pouco difícil agradar dessa forma, e sem contar o clássico erro de agradar a todos, que nunca leva a nada. Na TV aberta, a situação se complica e as pressões aumentam.  
Vocês reclamam das fórmulas gastas como se fosse falta de criatividade e EXIGEM o raio da fórmula gasta de volta se o novo por acaso não agrada.      
Durma com um barulho desses, caro escritor de redações de vestibular ou concursos públicos. Não, não há nada demais em ter dificuldades na escrita de um artigo, ou resenha ou seja lá qual for a modalidade exigida na prova.  
Apenas respeite aquele que sofre na tentativa de te entreter.
___________________________________________________
* Perfil: Emanuelle Najjar – Jornalista, formada pela FATEA em 2008, pesquisadora da área de telenovelas. Editora do Limão em Limonada (limaoemlimonada.com.br)


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *