A Cura não é uma série, tem algo errado aí

19 de agosto de 2010 0 Por Endrigo Annyston

Estou com dificuldades para lidar com a série A Cura, de João Emanuel Carneiro. Dificuldade porque o que vejo ali não é uma série e sim uma mini ou macro série. Entendo ser um erro da Rede Globo.

O correto seria a exibição em sequência com capítulos diários, afinal de contas não é uma produção onde uma nova história surge a cada semana e sim um roteiro com continuidade.

E aí está meu problema: como avaliar uma série sendo que estou assistindo com outros olhos?

O que eu posso dizer é que a história é envolvente e instigante e esse segundo episódio manteve o ritmo do final da primeira exibição, que tinha sido realmente muito bom. E ganhou conflitos, muitos.

Tem sim esse “q” de A Favorita, ou seja, prende, quer te fazer saber mais e mais. E você simplesmente precisa esperar uma semana inteirinha por isso.

E eu não posso em hipótese alguma deixar de destacar o trabalho de  Inês Peixoto (Edelweiss), afinal, é de atores assim que estamos precisando.

Ah, pra você que não está entendendo o que quero dizer com tudo isso: eu gostei da série, mas quero mais. Mais, mais, mais!