#Damages: Ainda melhor que o primeiro ano (season 2)

Nesta temporada Patty Hewes e Ellen aparecem repaginadas: deram um “tapa” no visual, estão muito bonitas.

Antes Ellen era mais apagadinha e Patty já era toda produzida e tal, como uma senhora cheia de classe, mas surge em cena com os cabelos um pouco mais compridos, penteado levemente diferente.

Mas claro que isso é o de menos.

Agora é a hora de Ellen se vingar de Patty que ela julgava ser a mandante do ataque que sofreu. Ao mesmo tempo, queria acabar com Frobisher. No caso dele por conta da morte de seu noivo.

Enquanto isso, Wes, parceiro de tramóias e novo affair, lutava para não ter que matá-la por estar se apaixonando pela moça.

Ellen não conseguiu nem uma coisa nem outra, quer dizer, saiu viva no final das contas porque Wes não acatou as ordens de tirar sua vida.

No entanto, um fator chama a atenção: Ellen é a única personagem que conhecemos de fato, sabemos qual é a dela. Sim, ela se tornou uma Patty Hewes, completamente dissimulada, cínica, debochada e bem malvadinha quando necessário. Mas sabemos, de fato, quem ela é.

Mas quem é Patty? Eu, por exemplo, luto o tempo inteiro para tentar identificar se ela está sendo boa ou uma completa filha da puta. E isso tudo é mérito de Glenn Close, uma atriz tão, mas tão boa, que é difícil descrevê-la.

Ela nos envolve de tal forma que até a gente acaba caindo na lábia da personagem.

Nesta temporada, outro show. Se no ano anterior o grande momento de Patty foi quando teve aquele ataque nervoso, dessa vez isso aconteceu quando ela apareceu no elevador do prédio de Ellen, ferida. Que atriz!

E eis o pulo do gato: desde o início a ideia era a de que Ellen teria atingido Patty… qual a minha e, acredito eu, a surpresa de todo mundo quando, na verdade, o agressor era aquele cara do GPS?

E o final, com Ellen quase se lascando mas sendo salva nos 45 minutos do segundo tempo? Ufa!

O lado bom de assistir Damages depois de todos esses episódios terem sido exibidos é o fato de poder assistir em sequência, sem parar.

Damages desperta isso, instiga, dá uma vontade de ver mais e mais. E mais.

Ainda bem que a terceira temporada também está disponível… então, até mais!



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *