De rejeitada a melhor novela inédita em exibição

22 de janeiro de 2013 0 Por Endrigo Annyston

Após a estreia de Guerra dos Sexos disse que apostava minhas fichas nessa produção. Não, não é um sucesso, errei nesse sentido, mas acertei ao acreditar que a história seria boa.

Tá, é um remake, mas nem todo remake é bom.

E Silvio de Abreu está conseguindo recuperar a imagem que deixou queimada comigo em Passione. Lembram que nem terminei de assistir? Pois é, não engoli Clara vilã, depois boazinha e vilã again.

Ora, o elenco tem lá seus picolés de chuchu. O que foi ontem aquela cena medonha entre Edson Celulari e Paulo Rocha? Ah, claro, ainda tem Antonia Moraes, Jesus Luz, Eriberto Leão…

Mas, em compensação, tem um elenco sensacional cujos personagens fazem total diferença, o que possibilita que os demais não atrapalhem o andamento do conjunto.

Até Gianecchini e Luana Piovani estão bem! E a Bianca Bin? Como evoluiu desde Passione, tremenda vilã a Carolina!

Destaco, especialmente, Drica Moraes. Dona Nieta é um barato, hilária a sequência da fofoqueira descendo a lenha em Charlô e, depois, percebendo que caiu do cavalo.

E Afrodite torrando a paciência da ricaça?

Melhor: Olívia descobrindo todo o trambique de Otávio???

Ainda tem o atrapalhado Kiko, Johnny Massaro também manda muito bem!

Enfim, após um início difícil, Guerra dos Sexos “levantou a poeira e deu a volta por cima”. Silvio de Abreu está com uma novela redonda, repleta de atrativos.

Ah, e divertida, quesito fundamental para a faixa das 19h.

Para esse que vos fala, é a melhor novela inédita em exibição.