Dercy: Tenho tanto pra falar e com palavras não sei dizer!

13 de janeiro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Olha, se eu tentasse gravar um podcast agora, não iria sair. Juro, iria me emocionar.

Eu jamais e em hipótese alguma cogitava me emocionar seguindo a trajetória televisionada de Dercy Gonçalves. A contar pela estreia, bem, ali era praticamente evidente que sim, veríamos uma minissérie que poderia ser tida como uma das melhores comédias já exibidas na TV, tão bem humorada quanto foi a vida de Dercy Gonçalves.

Pera lá, foi? Mesmo? Não.

E a gente estava indo nesse ritmo de que a vida dela foi uma tremenda festa especialmente porque, nesses primeiros momentos, mesmo nas piores situações, como o pai desprezando-a e a vizinha lhe tratando como puta, ela levava na esportiva, remediava. Tava nem aí!

O jogo virou quando o pai adoeceu e o próprio fez questão de uma reaproximação, meio que uma forma de se desculpar por ter sido tão… ausente – pra não dizer coisa pior.

Nesse meio tempo, o primeiro amor que a traiu, o pai da filha que tomou chá de sumiço e a vida complicada que a impedia de criar Decymar, o novo casamento feliz apenas na questão financeira e nem por muito tempo pois descobriu ser traída até nesse sentido…

Eu sei que essas últimas passagens foram muito emocionantes ao mesmo tempo em que eu rachava de rir com os cacos que inseria nas peças e, por consequência disso, eram um sucesso. Palavrão não faltava!

E aqui cabe dizer: Heloísa Perissé me surpreendeu pra… caralho!

Desde o início, quando vi as primeiras imagens da produção, pensei que a minissérie seria de Fafy Siqueira e ninguém mais. Acho que muita gente deu com a cara no chão.

Não que eu não visse talento em Perissé ou que ela já não tivesse convencido como atriz dramática, mas não se esperava tanto. E tem horas que sim, eu vejo Dercy. Ela conseguiu!

Heloísa Perissé diverte e emociona e, ouso dizer, vive a personagem da sua vida. Ficará marcada para sempre.

Ou seja, ela deu a volta por cima enquanto a parceira de Cócegas vive bancando a linda e não sai disso…

Enfim, hoje vem o capítulo final, é chegada a hora de Fafy e, mais uma vez, de nos despedirmos de Dercy.

Mas tudo entre aspas: uma das maiores comediantes da história do Brasil, mulher guerreira que superou a barreira dos cem anos, jamais será esquecida.

Volto a escrever após o “the end”, por ora, entretanto, devo finalizar com:

Caralho, essa série é do cacete, porra!