DH e um dos melhores finais da história. Emocionante!!

Eu seria injusto se dissesse que o series finale de DH é o melhor da história, não poderia fazer isso com Friends e Brothers & Sisters, que também tiveram desfechos redondos e deixaram fãs órfãos, porém satisfeitos.

Vivi um misto de emoções na noite de ontem, assistindo ao ponto final na trajetória das vizinhas de Wisteria Lane.

Comecei chorando. A primeira parte do sf foi no melhor estilo “fazer sentir”.

Quando vi Gabrielle e Carlos conversando nas proximidades de  Karen McCluskey previ o que poderia acontecer.

Bem, eu disse que tudo terminaria bem, não? Só achei que seriam absolvidos porque Gabriella era vítima de Alejandro e agiu em legítima defesa. O júri poderia se sensibilizar.

Só que seria um desfecho previsível e os roteiristas souberam surpreender.

Karen, a ranzinza porém amiga da vizinhança, salvou Bree e cia. E salvou porque também fazia parte desse círculo, assim como Renée, que se sentia de lado.

Mas a questão é que as quatro sempre foram um pouco mais que amigas, eram irmãs.

E esse primeiro bloco terminou rendendo muitas lágrimas.

Eis que a história continua revelando como Mary Alice foi chantageada por  Martha Huber, o início de tudo. O início que culminou nesse fim.

Esse novo bloco se mostrou mais divertido, como um episódio qualquer da produção. Daquele jeitinho que a gente gosta, com os preparativos do casamento turbulento de Renée, nascimento do neto de Susan, reaproximação óbvia entre Lynette e Tom…

Óbvia? Até o último momento os dois seguiram brigando. Lynette precisou levar um chacoalhão pra perceber que era uma mulher feliz com sua vida simples. Era? Não, acabou aceitando o emprego oferecido por Katherine. Adorei terem trazido Dana Delany de volta, Katherine sempre foi uma das minhas preferidas!

Bree também teve seu final feliz, após meio que viver aos trancos e barrancos com seu advogado.

Ah, ainda sobre o julgamento, e Gabrielle, hein? Fazendo trambique até no último momento. O que foi essa criatura entrando afobada pedindo a palavra e se calando porque Karen tinha assumido a culpa? Bree pedindo um tempo? Desmaiando?

Voltando pra Carlos e Gabrielle, legal a inversão de papéis com Carlos ganhando uma jardineira sexy.

Em resumo Marc Cherry e cia conseguiram dar excelentes desfechos para cada um dos personagens desse sucesso. Não dá pra reclamar de nada, nada.

Voltei a chorar com a última partida de pocker entre as meninas. Doeu, né? Após oito temporadas, o fim.

Daí em diante foi impossível conter a emoção. Achei de um bom gosto sem fim colocar Susan pra fechar a história e, enquanto dirigia, era escoltada pelo elenco que já tinha deixado a produção porque seus personagens tinham morrido.

E como o show não pode parar, a nova vizinha já chegou com segredos, no melhor estilo Desperate Housewives!

O balanço, no final das contas, é extremamente positivo. DH teve oito temporadas, sete delas extremamente vitoriosas e inspiradas. Deixou a desejar apenas em uma e conseguiu dar uma virada no último ano, sai de cena com dever cumprido e gostinho de saudade.

Essa vale ser vista e revista. Valeu, meninas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *