E quando A Vida da Gente tem uma história parecida na vida real?

21 de novembro de 2011 0 Por Endrigo Annyston

Quer dizer, uma não, várias. Quantos são os casos de pessoas que sofreram um acidente e estão ali, imóveis em uma cama?

O que quero dizer, no entanto, é que o drama de Ana se torna mais próximo de quem conhece isso de perto.

Há seis meses a filha de um casal amigo de minha família sofreu um acidente de moto. O namorado sobreviveu, sem sequelas; ela, no entanto, desde então está numa cama, inerte.

É nesse ponto que eu me esqueço o quanto Eva é uma bitch e ela me toca por sua esperança inabalável de que Ana vai se recuperar, mesmo após a passagem dos anos.

E como duvidar, como deixar de acreditar sendo que os exemplos, reais, existem? Tem gente que dormiu, dormiu e simplesmente resolveu que era a hora de acordar.

Quem entende totalmente a vontade de Deus? A vida é uma caixinha de surpresas.

Não dá pra gente nem se colocar no lugar. E o que dizer pra família? Também não sabemos.

Se Deus deixou esse fiozinho de vida, significa realmente que eles acordarão?

No caso de Ana, sim.

Anos atrás, no entanto, foi diferente com Luciana. Ela recuperou alguns movimentos em Viver a Vida mas não a ponto de retomar a vida que tinha antes do acidente.

Ana pode, entretanto, render esperança para quem vive situação parecida.

É bom? Sim, não tenho dúvidas. É melhor esperar pela vida que ficar ali, do lado da cama, aguardando a morte. São casos diferentes.

As chances de sequela, no caso de Ana, são menores. Se ela acordar pode recuperar muito do que deixou pra trás, já Luciana…

Afinal de contas, se a morte estava assim tão próxima, não seria o caso de ter sido o resultado do acidente?

É um assunto complicado e delicado.

Pena não ser apenas mais uma história de novela.