Fatima Bernardes, o fim de uma era e a dor de cotovelo

Há alguns meses não me surpreendi com a saída de Renato Machado, fiquei feliz por ele. Quando vi que sairia do Bom Dia para ser correspondente em Londres na hora pensei: combina tanto com ele!
Ontem, devo dizer, fiquei tenso com as notícias que saíram sobre a saída de Fátima do Jornal Nacional. E achei que poderia ser verdade, afinal, não era uma nota de Fabíola Reipert e sim de Mônica Bérgamo.

Ainda não consigo visualizar William Bonner sem Fátima, é o fim de uma era, fim do “casal nacional” e do atual “casal 20” da TV brasileira.

Num primeiro momento imaginei que o correto seria um outro homem na bancada, como era na época de Cid Moreira e Sérgio Chapelin. Não vejo a escolha de Patricia Poeta como boa, apesar de ter gostado dessa dança das cadeiras que acabou beneficiando Renata Ceribelli, ela merecia essa oportunidade.

E quer saber do que mais?

Acho chic a pessoa poder pedir pra sair do Jornal Nacional. Coisa para poucos.

Agora, posso ser bandida?

Fico pensando na Ana Paula Padrão e no quanto deve estar com dor de cotovelo e acho que uma certa raivinha. Creio que se estivesse na Globo seria a primeira opção e, portanto, estaria realizando seu sonho.

Tadinha…

Outra coisa: após a informação oficial fiquei satisfeito porque, no final das contas, se Fatima, jornalista querida que é está saindo para realizar um sonho e se está feliz, impossível não ficar contente e torcer por ela.

Desejo tudo de ótimo.

Mais sobre esse momento histórico da TV brasileira na Ponto de Vista desse sábado, não poderia ser diferente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *