Félix sem noção

Félix sem noção

22 de maio de 2013 1 Por Endrigo Annyston

Alguém consegue se lembrar que o Félix (Mateus Solano) largou a irmã no banheiro de um bar, sangrando, achando que ela iria morrer e roubou a sobrinha e jogou em uma caçamba cheia de lixo? Eu só consigo me lembrar dele chamando a menina de ratinha, dizendo que ela é sortuda por ter nascido sendo enrolada em uma echarpe chiquérrima e reclamar por ter perdido o paletó que ficou sujo de sangue, já que combinava tanto com o restante de sua vestimenta.

Walcyr Carrasco entendeu que a bola da vez são vilões cômicos. Construiu o personagem de Mateus Solano de maneira que o humor quase que mascara as vilanices e a frieza com que o irmão de Paloma (Paolla Oliveira) age para que seja o único herdeiro do hospital da sua família.

O gay enrustido chega a ser bizarro por soltar piadas nas horas mais impróprias possíveis e por quase não conseguir esconder a atração por rapazes. Ali até o momento, tanto autor quanto ator estão em grande sintonia, o texto está excelente e Mateus tem tudo pra se tornar o ator do ano.

Vamos aguardar de qual forma a emissora dará  liberdade para essa abordagem do personagem, até que ponto ele irá com suas “recaídas” e do que mais será capaz. Por enquanto, “deu a Elza” na sobrinha e pelo jeito tem tudo “pra causar”. Félix não é bagunça.

* Guilherme Rodrigues