Flor do Caribe: Rejeitada no início, cresceu e cativou seu lugar

O principal erro do início de Flor do Caribe foi querer ser “inha”. Certinha demais, bonitinha em excesso. Toda explicadinha.

Walter Negrão sentiu a necessidade de mostrar para o público como era “inho” o romance entre Estér e Cassiano, para depois, só depois, separar o casal.

Já disse aqui que, se fosse minha telenovela, teria começado pelo sequestro, depois colocaria flashs do romance dos dois, da amizade com Alberto.

Esse processo de embromation em início de novela é tão dispensável que Flor do Caribe só começou a esboçar reação exatamente a partir do momento em que Cassiano “saiu de cena”.

Passados alguns capítulos, a história se desenvolveu, Cassiano seguiu lutando para retornar para sua amada enquanto ela caiu na lábia do vilão e se casou.

Aí sim temos uma grande sacada de Negrão: Cassiano voltou exatamente quando o casamento estava em ruínas. Estér se decepcionou com o marido, mas continua a seu lado meio que porque ele sempre se recorda de que esteve com ela quando precisou.

Esse mote torna ainda mais imperdível o retorno de Cassiano. Ora, casamento subindo no telhado, amor do passado que estava morto reaparece…

A dúvida de Estér, a partir de agora, será o fio condutor da história. Ela vai ter que acreditar em Cassiano, em tudo o que ele diz. Ou dar ouvidos a Alberto.

Mas, Alberto tem crédito depois dos últimos acontecimentos?

A questão, neste momento, é que Flor do Caribe ontem teve seu melhor capítulo. E vive um divisor de águas. A partir do retorno do personagem de Henri Castelli é que a trama mostrará se de fato tem fôlego para se manter em alta.

Ontem foram merecidos 25 pontos, recorde desde a estreia. Castelli mostrou serviço, ele e Grazi. Arrasaram.

Já Igor Rickli, coitado, nem a maquiagem estava ajudando, hein? Bem bizarro aquele sangue que colocaram em sua boca. Pior que isso só aquele “Tonho da Lua” dos anos 2000.

Da minha parte, atualmente Flor do Caribe só perde para Guerra dos Sexos. Ambas, no entanto, estão imperdíveis.



1 comentário em “Flor do Caribe: Rejeitada no início, cresceu e cativou seu lugar”

  1. Oi Endrigo! Das novelas da Globo atualmente só assisto Malhação e Flor do Caribe. De vez em qdo passo o olho por Salve Jorge. Não gosto de Guerra dos Sexos, acho a novela péssima. Mas falando em Flor do Caribe, a novela foi uma grata surpresa. Eu mesmo torci o nariz….é uma trama leve, poucos personagens, lembra muito as novelas mexicanas que só focam nas relações familiares/amorosas. Eu gosto do Tonho da Lua 3.0 e da cabra Ariana…acho divertido e até meio infantil. Se o Walther Negrão for esperto faz o Cassiano tocar o terror em Vila dos Ventos para desmascarar o Alberto para todo mundo…aí o bicho vai pegar. Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *