Globo Rural mostra a situação dos gargalos logísticos que ameaçam a exportação de grãos

O Brasil poderá exportar 57 milhões de toneladas de grãos, com destaque para a produção de milho. Se isso ocorrer, o país se tornará o maior exportador de milho do mundo, superando os Estados Unidos. A repórter do ‘Globo Rural’, Camila Marconato, apresenta no programa deste domingo, dia 10, os gargalos logísticos que existem tanto no sistema ferroviário quanto nos portos, e que pode comprometer a exportação desta supersafra.

As filas intermináveis de caminhões transformam as vias de acesso ao terminal marítimo em um gigantesco estacionamento a céu aberto. A reportagem segue para os portos de Paranaguá, no Paraná, e de Santos, em São Paulo. Nos dois portos a situação é semelhante, a infraestrutura para chegar até os portos é pequena para atender a safra recorde de grãos que o país está colhendo. O mesmo ocorre nos terminais rodoferroviários. A produção do programa mostra os problemas enfrentados tanto em Cascavel, no Paraná, e em Alta Araguaia, em Mato Grosso, que neste ano já registrou congestionamento de quase dois mil caminhões.

Ainda no programa, a repórter Helen Martins segue para Corumbá de Goiás, no estado de Goiás, para falar sobre o uso de equipamento de proteção individual, o EPI. Esse equipamento deve ser usado por todas as pessoas que trabalham com agrotóxicos, para evitar intoxicações. É comum que os trabalhadores não façam o uso adequado dele, e o risco da intoxicação pode levar a morte. É uma questão preocupante para os produtores que estudam maneiras para minimizar os riscos entre os trabalhadores.
O ‘Globo Rural’ vai ao ar aos domingos, logo após ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’, e de segunda a sexta, após o Telecurso.

O Brasil poderá exportar 57 milhões de toneladas de grãos, com destaque para a produção de milho. Se isso ocorrer, o país se tornará o maior exportador de milho do mundo, superando os Estados Unidos. A repórter do ‘Globo Rural’, Camila Marconato, apresenta no programa deste domingo, dia 10, os gargalos logísticos que existem tanto no sistema ferroviário quanto nos portos, e que pode comprometer a exportação desta supersafra.

As filas intermináveis de caminhões transformam as vias de acesso ao terminal marítimo em um gigantesco estacionamento a céu aberto. A reportagem segue para os portos de Paranaguá, no Paraná, e de Santos, em São Paulo. Nos dois portos a situação é semelhante, a infraestrutura para chegar até os portos é pequena para atender a safra recorde de grãos que o país está colhendo. O mesmo ocorre nos terminais rodoferroviários. A produção do programa mostra os problemas enfrentados tanto em Cascavel, no Paraná, e em Alta Araguaia, em Mato Grosso, que neste ano já registrou congestionamento de quase dois mil caminhões.

Ainda no programa, a repórter Helen Martins segue para Corumbá de Goiás, no estado de Goiás, para falar sobre o uso de equipamento de proteção individual, o EPI. Esse equipamento deve ser usado por todas as pessoas que trabalham com agrotóxicos, para evitar intoxicações. É comum que os trabalhadores não façam o uso adequado dele, e o risco da intoxicação pode levar a morte. É uma questão preocupante para os produtores que estudam maneiras para minimizar os riscos entre os trabalhadores.
O ‘Globo Rural’ vai ao ar aos domingos, logo após ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’, e de segunda a sexta, após o Telecurso.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *