Glória Pires fez por merecer todos os elogios recebidos em Mulheres de Areia

Eu era um bebê (curtiram??) nas duas vezes em que assisti Mulheres de Areia, portanto, por mais que eu tivesse gostado do folhetim, não tinha o olhar crítico de hoje. Era um telespectador mirim comum.

No entanto, cresci lendo diversas críticas sobre o trabalho de Glória Pires, extremamente festejada por conseguir dar um tom diferente às gêmeas Ruth e Raquel.

Ontem, mais uma vez, as personagens trocaram de lugar. Ruth, mesmo a contragosto, se vestiu como a irmã.

E se a gente vê claramente que Glória construiu uma personagem totalmente diferente da outra isso fica ainda mais evidente quando ela consegue colocar a Ruth pra fazer a Raquel. A fisionomia, o semblante, é realmente da Ruth fazendo a irmã ruim.

O contrário também é realidade.

Só o pastel do cornudo do Marcos pra não perceber, né?

Mas tiro meu chapéu pra Glória Pires, é inegável que são os maiores papéis de sua carreira. Mais até que Maria de Fátima.

É uma construção muito rica e como as duas estão ali, uma do ladinho da outra, a comparação se torna ainda mais fácil.

Acho que são poucos os atores no Brasil que conseguiriam desenvolver esse trabalho com tamanha competência ou superar o que ela fez. E olha que atrasaram a exibição do folhetim por conta da gravidez da atriz!

Aliás, nesse momento de ontem, comentei no Twitter que se ela obedecesse Isaura iria dar na cara dela, mas gostei tanto do resultado final que acabei dando risada e deixando pra lá rs



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *