The Good Wife merecia mais, muito mais (season f.)

Eu não conheço uma única pessoa que assista The Good Wife, sério. Nem internautas.

Nas ocasiões em que falei da série não vi a manifestação de um internauta sequer e também não vejo repercussão na mídia. Nada.

Digo isso não apenas pela atuação impecável de Julianna Margulies e cia, mas especialmente porque os roteiristas conseguiram passar do estigma de “mais uma série sobre advogados/julgamentos” e deram vida a esses personagens cheios de conflitos.

E isso vai além da abordagem da superação da personagem central, tanto que TGW entrou para a minha lista de imperdíveis após eu quase ter desistido por acreditar que, como eu disse, era mais uma série sobre advogados. Insisti e vi que não era.

E a season finale? Como vale a pena!

Primeiro porque Alícia conseguiu entrar para o time de advogados da empresa e vai ter que lidar com o revoltadinho que mudou de time;

Segundo e principal: o lance com o Will cada vez mais mexendo com dela – principalmente por culpa do marido que parece não estar interessado em mudar.

E apesar de termos a ideia de que “todo mundo merece uma segunda chance” também vem o pensamento de que “Alicia merece algo melhor”.

E foi assim que a primeira temporada terminou: quando Alícia iria participar do discurso do marido, o telefone toca, com Will querendo apresentar seu plano para o futuro dos dois.

Ela hesita.

E vem a dúvida: ela larga o cara sozinho pagando um mico no palanque e sai correndo atrás de Will?

Tomara!

::

Pra quem ainda não conhece, garanto, vale super a pena!



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *