“Guerra dos Sexos”: Incompreendida, porém na medida certa para divertir

“Guerra dos Sexos”: Incompreendida, porém na medida certa para divertir

27 de abril de 2013 3 Por Endrigo Annyston

Nós estamos habituados a assistir produções de fácil entendimento, especialmente quando se trata de novelas. Nos sentamos em frente ao televisor e apenas nos deixamos levar pela “fábrica de sonhos”.

No entanto, em algumas ocasiões, um exercício se faz necessário: é preciso compreender o proposto.

Produções como “O Astro” e “Guerra dos Sexos” são mais complexas. Não digo elitistas, nada dessa história de direcionadas para a classe x ou y. Complexas no sentido de que, por exemplo, é preciso entender que Clô Hayalla é uma personagem completamente fora da realidade, por isso os exageros de Regina Duarte são compreensíveis. Ora, uma novela que tem como personagem principal Herculano Quintanilha, que prevê coisas, bem, só por isso sabemos que não se trata de uma história comum.

No caso de “Guerra dos Sexos”, muitos compararam a telenovela com o “Zorra Total”. Isso não existe.

Não era um humor popular como o de “Morde & Assopra” ou “Cheias de Charme”, cuja empatia junto ao telespectador é instantânea. A trama de Silvio de Abreu tem uma pegada que a aproxima de um desenho animado.

Só a partir desse entendimento é possível viajar junto com Marilu Bueno e Irene Ravache, por exemplo, cujas personagens, Olívia e Charlô, diversas vezes usaram uma moto em perseguições.

Por mais modernas que sejam, por mais que estejam em um folhetim que fale da liberdade e conquistas das mulheres, da concorrência com os homens, já são senhoras e você não encontra situações assim no dia a dia. O mesmo vale para a própria Olívia pendurada em cima de um carro enquanto tentavam capturar Veruska e Nenê!

“Guerra dos Sexos” tanto tem pegada de desenho animado que é possível comparar essas perseguições com o clássico Corrida Maluca. É preciso, portanto, se permitir. Se você liga o televisor e julga como surreais sequências assim, realmente vai achar que o autor viajou na maionese.

E a faixa das sete não tem compromisso com a realidade, há uma brecha para esse tipo de situação.

Não faz sentido, também, as críticas relacionadas ao fato de o foco central do folhetim, a “guerra” entre homens e mulheres, estar ultrapassada.

Existe sim uma certa igualdade entre os sexos, mas a mulher ainda hoje precisa mostrar sua capacidade. E essa nova realidade foi retratada por Silvio de Abreu: Charlô era independente e capaz, mas, como no mundo real, tinha no caminho um Otávio que, com o mesmo pensamento de muitos homens, queria castrá-la, mantê-la dentro de casa e prover seu sustento. Acreditava que só assim ela iria amá-lo.

Além de tudo isso, também é injusto o fardo que Silvio de Abreu terá que carregar, o de pior audiência da faixa das 19h na história da Globo.

Ao menos na opinião da coluna, “Guerra dos Sexos” sai de cena como uma das melhores telenovelas do horário.

O autor, após um início sofrível, fez a novela andar e tornou seu produto interessante. Foi humilde, é bom frisar, diferente de uma outra autora.

Vale destaque, ainda, para a direção de Jorge Fernando, na medida certa para divertir, a trilha sonora totalmente conectada com o texto e o elenco, que é um dos melhores já reunidos numa produção.

Personagens como Charlô, Otávio, Olívia, Roberta Leone, Kiko, Frô, Semiramis, Nenê, Veruska, Juliana, Nando, Carolina, Vânia, Nieta, dentre outros, deixarão saudade.

Destaque especial para o trio Tony Ramos, Irene Ravache e Marilu Bueno, que arrasaram; Glória Pires e Reynaldo Gianecchini, por mesclarem amor e humor na pele de Nando e Roberrrta; Drica Moraes pela composição impecável de Nieta, além de Bianca Bin e Luana Piovani. A primeira por ter amadurecido enquanto atriz e a segunda por realmente ter mandado bem. Piovani convenceu como Vânia!

“Guerra dos Sexos”, portanto, sai de cena um tanto quanto incompreendida, mas não é um julgamento comum a todos.

Para os que embarcaram na brincadeira, deixará saudade. Grande Novela!

* Artigo da coluna “A TV em Cena”, do RD1. Clique e confira!