#Hebe Camargo: o velho reino e o castelo novo

Assim como todo mundo tem um daqueles “tios” engraçados e vistos como loucos, toda família tem uma daquelas tias “pra frentex”, super modernas e com o evidente dom da conquista. Seria um exagero meu dizer que Hebe Camargo é a personificação delas?

Hebe desperta reações entre a veneração e o ódio. Ambos extremos assim como ela mesma. De uma forma ou outra ela costuma estar no centro das atenções e durante os últimos dias não poderia ser diferente, afinal a apresentadora está em um momento especial em sua carreira.

No último dia 15, ela estreou seu novo programa na nova casa. Para quem não se lembra, a loira está agora na Rede TV! para onde levou todo o seu carisma. Sua chegada foi glamourosa: em uma gaiola suspensa por cabos de aço decorada com cristais, via aérea por cima das cabeças de sua plateia de convidados ao som do tango de Gardel “El Dia Que Me Quieras” em um momento que foi resumido no texto A nova Hebe: mais cafona do que nunca, simpática como sempre escrito pelo jornalista Maurício Stycer da seguinte forma:

 “Um concurso que eleja o momento mais cafona da TV brasileira em 2011 terá que considerar esta cena “hors concurs”, caso queira dar chance a outros candidatos.”

E a loira fez a festa, seja com seus “beijos técnicos”, com as entrevistas com perguntas-chavões, alguma pieguice, uma alfinetada ou outra e tudo aquilo que sempre a tornou conhecida. A mesma Hebe, talvez um pouco mais “chique” – entenda isso como quiser – porém com a mesma essência. Mesmo estando na Rede TV! ela tem a cara e o jeitão do SBT.

É de se esperar, afinal foram 25 anos e isso não se apaga de uma hora para outra. E na prática ninguém espera que isso mude tão rápido e provavelmente nem exige. Seu castelo pode ser novo, mas seus súditos a conhecem de longa data, desse jeitinho como sempre se mostrou. E nesse mundo da fama, reinados costumam ser tão curtos, que é melhor aceitar o fato de que certas fórmulas não se mudam a troco de pouca coisa.

Hebe é Hebe: cafona, exagerada, simpática, carismática assim como todas as tias “pra frentex” que povoam nossa infância. É assim que gostam dela. Não há um bom motivo para mudar, há?

_________________________________________________

* Perfil: Emanuelle Najjar – Jornalista, formada pela FATEA em 2008, pesquisadora da área de telenovelas. Editora do Limão em Limonada (limaoemlimonada.com.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*