Já são três mulheres agredidas esse ano na teledramaturgia

O Brasil parou para ver a personagem Raquel (Helena Ranaldi) levando raquetadas do seu marido Marcos (Dan Stulbach) em Mulheres Apaixonadas. Logo depois veio a Catarina (Lília Cabral) que sofria também agressões de Léo (Jackson Antunes) em A Favorita. E pelo jeito esse tipo de núcleo acaba por se tornar sempre freqüente em tramas brasileiras, tanto que esse ano elas continuam a apanhar, só que agora são três, duas em uma mesma emissora e outra em uma diferente. Confira:

Morde & Assopra – Lavínia e Oséas

Na novela de Walcyr Carrasco, Oséas (Luís Mello) fez uma viagem, conheceu Lavínia (Nívea Stelmann) e se encantou pela moça, mesmo ela tendo um “passado duvidoso” (isso nunca foi bem esclarecido na trama, mas a suspeita é de que ela era garota de programa) aceitou levá-la a Preciosa, cidade fictícia da trama, para se casar e morarem juntos. O que com o tempo acabou sendo descoberto é que o filho de Oséas, Fernando (Rodrigo Hilbert) tinha tido um caso com a moça, era muito apaixonado por ela e isso estava voltando a acontecer. No meio de toda essa história, Lavínia era agredida pelo seu marido, trancafiada e impedida de sair na rua, chegando até a ser algemada. No fim das contas, acaba indo embora com Fernando, depois de uma difícil reconciliação entre pai e filho. O casal teve o seu final antecipado na história, para que tudo não ficasse para o último capítulo, mas existem suspeitas de que o Ministério Público achou a história imprópria para o horário, exigindo que fosse finalizada.

Vidas em Jogo – Zizi e Adalberto

Cristianne Fridman criou essa trama paralela a dos amigos que ganharam na loteria e acabaram milionários. Zizi (Lucinha Lins) é uma simples doceira que trabalha para sustentar a casa já que seu marido Adalberto (Luiz Guilherme) não consegue emprego, é mecânico mais pela falta de atualização na sua área acaba perdendo oportunidades. O casal tem uma filha chamada Rita (Julianne Trevisol) que foi expulsa pelo pai por ser dançarina, e acaba tendo que se encontrar as escondidas com sua mãe, já que o pai a rejeita, e ao mesmo tempo se lança na novela a suspeita de que ele sinta atração pela filha. Zizi é agredida de várias maneiras na trama, mais sempre não denunciando, ás vezes saindo de casa, mas acaba voltando a morar com o marido. A novela ainda está longe do fim, mas veremos se será preciso chegar ao extremo como na trama de Manoel Carlos para que a personagem denuncie o seu marido.

Fina Estampa – Celeste e Baltazar

A trama que estreou essa semana já no primeiro capítulo mostrou Celeste (Dira Paes) telefonando para Griselda (Lília Cabral) contando que levou uma surra de Baltazar (Alexandre Nero), seu marido que é motorista de Tereza Cristina (Cristiane Torloni). Na novela Celeste é dona de casa, e leva sua vida sofrendo agressões do marido e ainda tendo que controlar a filha Solange (Carol Macedo), funkeira  que não perde um baile funk por nada e que acaba sofrendo repressões do pai e causando ainda mais tumulto na relação deles. Vamos ver como a história irá se desenrolar nos próximos oito meses.

Mesmo que de forma diferente, as novelas acabam repetindo o mesmo tema: agressão a mulher. Talvez seja como forma de alerta a sociedade ou somente para entreter, mas é preciso averiguar se já não está havendo um desgaste e acabar criando um desinteresse pelo excesso apresentado.

*Guilherme Rodrigues do blog Espaço Opinativo 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*