A Liga: E a culpa é nossa?

Ontem A Liga mostrou dois rapazes que sofreram preconceito. Talvez pela cor ou pelas roupas que vestiam, a questão é que os seguranças que tomavam conta das lojas ficaram apreensivos e, em dado momento, chamaram a polícia.

O preconceito vem de pré-conceito, ou seja, você já tem um conceito, um pensamento sobre a pessoa antes de conhecê-la.

Mas enquanto assistia, me questionei: será que a culpa é nossa?

Não falo do preconceito pela cor dos rapazes pois isso é ridículo, mas como é que os marginais, aqueles que não são do “colarinho branco”, costumam se vestir?

É bem verdade que não é a roupa que faz de alguém um bandido, mas em um mundo tão violento o que fazer quando você avista uma pessoa que está vestida da mesma forma que os bandidinhos de rua? Ou de forma parecida?

Você não precisa agir como os seguranças, chamando a polícia, mas fica atento. Isso é comum.

É uma forma de defesa que a gente criou.

Infelizmente, se o mundo está desse jeito, ficar atento é o mínimo que podemos fazer, mesmo quando cometemos injustiça.

Aliás, estamos em ano de eleição. Tem um monte de candidato aí prometendo acabar com a violência.

Acho que o dia em que isso for feito de verdade o nosso medo também terá fim e poderemos conviver como iguais, ou tentar.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *