Mais Daniela. Menos Joelma. Mais respeito.

Tempos atrás Joelma se envolveu em uma polêmica com um fã gay. Disse que sua religião era contra e os pais  dele ficariam felizes se ele mudasse. Algo assim.

Não teve boa repercussão, mas o caso foi abafado.

Uma assessoria de imprensa competente teria evitado que ela retomasse o assunto e vomitasse tanta abobrinha.

Sinceramente não gosto do tipo de “música” que ela faz e nem acho que seja uma grande cantora. Não chega nem perto disso.

Mas é um grupo de sucesso e que emprega muita gente.

As últimas declarações de Joelma sobre o que podemos chamar de “cura gay” fez com que muita gente se manifestasse contra. Gente “grande”.

Diante de tudo isso, nem um video da cantora tentando se justificar tem feito a situação se reverter a seu favor.

Prevejo menos shows, menos contratos, queda de vendas e poucas participações na televisão. Ao menos por agora.

Acho que ela perdeu uma grande oportunidade de ficar quieta. Pode ter seus conceitos e crenças, mas, quem não ajuda, não atrapalha.

Creio que pais bons são aqueles que, diferente do pensamento de Joelma, podem até discordar dos rumos que os filhos “escolheram” para a vida, os aconselhar. Mas ninguém tem o direito de se meter na vida alheia. Impor conceitos.

Tanta gente trabalhando em prol da causa e ela, que tem o poder da palavra, usa pra negatividade.

Curioso que, enquanto Joelma é detonada pelo que fez, Daniela Mercury surge assumindo namoro com uma mulher. Boato que tinha nascido no carnaval.

Ela sim, admirável. Corajosa. Arretada!

Daniela Mercury, cantora de verdade, saindo do armário, rende dois fatores positivos.

1- Reabre a discussão sobre o amor entre iguais, agora com a vantagem de um “até a Daniela é”

2- Estimula mais pessoas a fazerem o mesmo.

Lembrando que Daniela não é a primeira famosa a sair do armário. Ano passado, depois do sucesso em Avenida Brasil, José de Abreu se declarou bissexual.

Não adianta iniciar um ano novo, como sempre fazemos, desejando paz, se o que plantamos é discórdia.

Amar o próximo inclui respeito. Isso é bom e todo mundo gosta.

Clichê, mas um clichê que vem a calhar.

8 Comentários

  1. A Joelma expôs a opinião dela. Acho uma tremenda hipocrisia criticarmos ela, afinal, esse pensamento representa a ideia de boa parte dos brasileiros. Se fala em liberdade de expressão, agora só porque a cantora não apoia a união homossexual é metralhadas de críticas. Como se pode falar em liberdade se oprimirmos quem expõe sua visão de mundo, ninguém é obrigado a concordar com nada e outra ela não incitou violência contra ninguém. "Uma boa oportunidade de ficar calada" reflete a ideia "Se não concorda com a opinião de quem faz parte da mídia, então fique quieto". Ah tá. Cadê o debate. Só é válido a opinião de quem vive com outra pessoa do mesmo sexo, estamos em uma democracia ou em quê. Acredito que todos tem o direito de fazer as suas escolhas e toda vez que alguém diz que algo é impossivel, que não existe "ex gay", está dizendo "não existe Deus", afinal, quem é cristão acredita em um Deus do impossível, capaz de reverter o irreversível aos olhos do homem. Para completar, acho que todos os cidadãos devem ser tratados iguais, e se pra alguém que tem essa condição isso não é um problema, deve ser respeitado como tal. Mas quem pensa diferente deve ter a sua opinião respeitada, por mais esdruxula que aos nossos olhos possa parecer e acho que a única coisa que deve ser impedida é que as pessoas fiquem reféns do politicamente correto. Não poder compartilhar suas crenças e ter que se curvar a um sistema é um "armário" tão sofrível quanto qualquer outro.

  2. Concordo com a liberdade de opinião. Eu, por exemplo, discordo de muitas coisas.

    Acho que é um direito de cada um achar certo ou não a união entre iguais, mas me posiciono contra essa tal "cura gay". Vai curar quem está doente num hospital entre a vida e a morte e não quem está amando, feliz, e cuidando do seu umbigo.

    Só isso.

  3. Achei muito bonita a atitude da Daniela Mercury, assumindo sua homosexualidade.Se a Joelma é contra,deve guardar p/ ela,pois só ela sairá perdendo.Parece que não vão fazer mais o filme sobre sua carreira e a Débora Secco não quer mais fazer a personagem.

  4. Quem fala o que quer, ouve o que não quer… Ofendeu porque citou um exemplo de uma pessoa que disse que deixar de usar drogas é tão dificil quanto deixar de ser gay… E a sociedade começa a não aceitar mais esse tipo de agressão verbal…

  5. Joelma só ofendeu os partidários do "politicamente correto", que se utilizam da hipocrisia para discriminar quem pensa de maneira diferente e deturpar significados de palavras em dicionários. Daniela expôs a vida pessoal por que quis, o problema é dela, mas o engraçado é que quando os jornalistas diziam desse romance, ela dizia que era mentira. Hipocrisias à parte, penso que numa sociedade pretensamente democrática em que expor suas opiniões que não incentivam práticas criminosas é errado (pois abordar a cura gay não é ilegal, como os ativistas divulgam por aí), não se pode falar em liberdade de expressão, muito menos respeito às diferenças em todos os sentidos.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*