Manifestações crescem e promovem mudanças inéditas na TV

Os protestos estão se espalhando por todo o Brasil e mudaram a rotina das TV´s. A mobilização é geral, assim como o aumento dos que foram às ruas e aderiram ao movimento.

Se de início apenas a Record e Band abriram mão da programação habitual para cobrir os últimos acontecimentos, agora é possível dizer foi impossível não se render a um momento que virou histórico na história do Brasil.

Segundo o noticiário, nunca o Brasil teve uma adesão tão intensa da população em um movimento contra/pedindo soluções dos governantes. As pessoas foram às ruas e os motivos se ampliaram.

Já não se briga mais por conta do aumento do transporte. É meio que pelo “conjunto da obra”. Algo positivo, os políticos andaram pintando e bordando – mensalão, cartões corporativos, etc – e nada foi feito. Sem justiça chegou a hora de cobrar soluções.

A hora não poderia ser mais adequada: os olhares estão voltados para o Brasil por conta da Copa das Confederações e o mundo todo está vendo o que se passa aqui. Dilma e cia terão que tomar providências ou os protestos com vandalismo tendem a aumentar, o que é uma pena.

Ontem, não estava em casa, e ao retornar fiquei incrédulo com as informações. Só tinha visto o SBT interrompendo a programação para entrar com um Plantão com Carlos Nascimento.

Enquanto isso, a Globo exibia O Profeta sem hora pra terminar, suspensão de partida da Copa das Confederações e novelas das seis e sete, dos informativos locais somado a edição histórica do Jornal Nacional, feito enquanto os fatos aconteciam.

Perdi tudo isso e a chance de ver a evolução de Patrícia Poeta enquanto ancorou horas de plantão.

Mas, agora, não dá pra imprensa fechar os olhos. Jornalistas, veículos das principais emissoras do país, policiais, prédios públicos, são muitos os feridos e até os que perderam a vida. A adesão em massa da população necessita da adesão na mesma intensidade dos veículos de comunicação, com jornalistas disfarçados ou não.

Depois de todo o ocorrido, de tanto barulho, resta torcer para que mudanças sejam visíveis. Especialmente a mudança na forma de o brasileiro lidar com seus líderes.

Nós somos os patrões, os governantes, nossos funcionários. Nós os elegemos e eles devem prestar esclarecimentos sobre seus atos, nos respeitar.

1 comentário em “Manifestações crescem e promovem mudanças inéditas na TV”

  1. Estamos vivendo dias históricos e a emissora que virar as costas para a cobertura das manifestações corre o risco de ser acusada de omissa, porém é preciso tomar cuidado com os excessos dos âncoras, que no improviso, são capazes de soltar todo tipo de abobrinhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *