Máscaras termina com homenagem ao autor

3 de outubro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Ontem se encerrou Máscaras. O último capítulo reservou a sua melhor parte para o final quando, de repente, saiu a personagem e entrou em cena Paloma Duarte, nos estúdios do RecNov falando sobre a carreira, de como são as nuances fazendo metáforas com o título da novela. A imagem ficou em preto e branco e Paloma foi da sua forma prestando uma homenagem a todos que integraram aquele projeto, de certa forma reconhecendo que não foi o que eles esperavam e que sim, houveram equívocos na trama, mas encerrando elogiando o autor e falando de sua importância:

“Quantas camadas cabem numa mesma fala? Quantas personagens cabem numa mesma atriz? Quantas máscaras cabem numa mesma personagem? Infinitas. É conviver com uma dúvida eterna. Ás vezes dá certo, ás vezes não dá, mas não é isso que importa, o que importa pra mim é o caminho, é a batalha, essa é sempre linda, ao menos quando eu trabalho pra você. Acho que é por isso que eu te amo tanto.”

Em seguida anunciou que estava indo realizar a última cena. A TV volta a ser colorida, se mostra o desfecho da novela, que acabou sendo desinteressante perto do que vimos antes. Tomara que tenha sido uma surpresa ao autor, reforçando a amizade que Paloma tem com ele e que sirva de inspiração para que Lauro César Muniz não aposente, que faça novas tramas, que supere o fracasso que foi Máscaras.

* Guilherme Rodrigues, estudante de jornalismo da UNITAU